NÃO RESISTIU

Trump adere ao TikTok, plataforma que queria proibir quando presidente dos EUA

Neste domingo, Trump já acumulava mais de 1,1 milhão de seguidores e mais de 24 milhões de visualizações

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 2 de junho de 2024 às 19:19

Eleições nos EUA: Entenda como estão todos os processos contra Donald Trump
Eleições nos EUA: Entenda como estão todos os processos contra Donald Trump Crédito: Shutterstock

Donald Trump aderiu ao TikTok para compartilhar vídeos - o popular aplicativo que ele mesmo tentou banir nos Estados Unidos quando era presidente. O vídeo do ex-presidente dos EUA foi publicado neste domingo, 2, três dias depois de o ex-presidente ser declarado culpado por delitos graves pela Justiça.

"É uma honra", diz Trump no vídeo, que inclui imagens de saudação e poses em forma de selfies na noite do sábado.

Neste domingo, pela manhã, Trump já acumulava mais de 1,1 milhão de seguidores na plataforma, com a publicação somando mais de 24 milhões de visualizações.

"Não deixaremos nenhuma frente indefesa e representaremos o debate contínuo para um público mais jovem que consome conteúdo pró-Trump e anti-Biden", disse o porta-voz de Trump, Steven Cheung, em comunicado sobre a decisão da campanha pela plataforma.

De propriedade da ByteDance, com sede em Pequim, o TikTok é outra oportunidade para angariar votos em potencial.

A plataforma chega a 170 milhões de usuários nos Estados Unidos, jovens na sua maioria, um grupo demográfico especialmente difícil de chegar às campanhas porque não vê televisão.