10 filmes de animação pouco conhecidos e que emocionam diferentes gerações

vanessa brunt
15.07.2020, 05:00:00

10 filmes de animação pouco conhecidos e que emocionam diferentes gerações


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Muitos preconceitos podem circundar os filmes de animação. O achismo de que eles são somente infantis ou todos muito semelhantes é constante. Esquecem que existem os longas do gênero feitos apenas para o público adulto, assim como é possível encontrar vários estilos possíveis dentro de cada uma das produções: suspense, ação, aventura, drama, comédia e muitas outras vertentes ficam presentes.

Para quem quer quebrar cada vez mais esses estigmas e se emocionar com roteiros bem aprofundados, existem tramas mais conhecidas e que podem ser conferidas com toda a família. Na Netflix, por exemplo, estão disponíveis títulos como Divertida Mente, Klaus, Monstros S.A. e O Conto da Princesa Kaguya.

Mas, que tal fugir dos óbvios e conhecer mais possibilidades que vão levar a novos entendimentos? Para ajudar no processo, separei filmes de animação de variados estilos, diversos países (como Brasil, Japão, Reino Unido e mais) e que são para diferentes faixas etárias.

Confira obras impecáveis e que trazem diferentes traços, mensagens e emoções. Do suspense ao drama, veja produções para assistir com toda a família ou longas só para maiores de idade, além de outros títulos com classificações diferenciadas:

1. Túmulo dos Vagalumes | Para Maiores de 12 Anos

Mais pesado e denso, Túmulo dos Vagalumes trata sobre a Segunda Guerra Mundial, exibindo detalhes sob os olhares dos irmãos Setsuko e Seita. A produção é considerada um clássico e uma das mais vistas no Japão.

Ainda crianças, esses irmãos têm o pai convocado como soldado e a mãe acaba falecendo no bombardeio, os fazendo ir morar com parentes. Assim, os dois personagens lidam com fome, solidão e desesperança enquanto estão a espera pelo retorno incerto do pai que está no front da batalha.

O longa abala qualquer emocional e que pode ser a melhor pedida para adultos que querem assistir a uma animação sozinhos. É uma obra que discute lados desumanos para tratar da importância da empatia e de outras temáticas sociais positivas.

Quando foi lançado inicialmente, O Túmulo foi passado ao lado de Meu Amigo Totoro (que ganhou até uma versão da Disney e fica aqui como uma dica extra), também extremamente aclamado. Ambos os filmes abordam a relação entre irmãos vivendo momentos difíceis de suas vidas, mas com atmosferas e estilos totalmente diferentes.

➨ Nacionalidade: Japão
➨ Gênero: Guerra, Drama
➨ Duração: 1h30min
➨ Lançamento: 1988
➨ Direção: Isao Takahata
➨ Dublagem: J. Robert Spencer, Ayano Shiraishi, Veronica Taylor

2. Ilha dos Cachorros | Para a Família

Cachorros estão banidos da ilha de Megasaki: é o que a lei assinada pelo prefeito da cidade diz.

O jovem Atari Kobayashi é separado de seu melhor amigo, bem como outros cidadãos da cidade. Mas, ele, inconformado com o decreto, rouba um jato e decide ir atrás do melhor amigo Spots no lixão de Megasaki, para onde os cães foram exilados.

Ilha dos Cachorros é a segunda animação do diretor norte-americano Wes Anderson (O Fantástico Sr. Raposo). Assim como no primeiro longa animado do diretor, o cenário e personagens foram feitos com material real, ou seja, marionetes de madeira e massinha de modelar. São 24 fotos para criar um segundo de movimento.

A fantástica produção fez de Ilha dos Cachorros um grande filme. Questões sociopolíticas, xenofobia e regimes totalitários são abordados.

Enquanto Atari parte na busca de seu amigo, dentro da cidade um grupo se movimenta contra o prefeito corrupto e autoritário que a lidera. No lixão, a rotina dos cachorros é evidenciada. Destaque, inclusive, para a personificação dos animais, uma metáfora a pessoas que vivem em condições precárias.

Ilha de Cachorros é mais dinâmico e menos emocional. O filme foi premiado no Festival de Cinema de Berlim.

➨ Nacionalidade: EUA
➨ Gênero: Aventura
➨ Duração: 1h42min
➨ Lançamento: 2018
➨ Direção: Wes Anderson
➨ Dublagem: Bryan Cranston, Edward Norton, Scarlett Johansson

3. Your Name | Classificação Livre

Longa animado japonês que foi indicado ao Oscar e mexeu com corações ao redor do mundo, o filme Your Name conta a história de dois jovens que um dia acordam um no corpo do outro.

Mitsuha Miyamizu é uma jovem que mora no interior do Japão e que deseja deixar sua pequena cidade para trás para tentar a sorte em Tóquio. Já Taki Tachibana é um jovem que trabalha em um restaurante italiano em Tóquio e deseja largar o seu emprego para tentar se tornar um arquiteto.

Os dois adolescentes não se conhecem, mas estão direta e misteriosamente conectados pelas imagens de seus sonhos. Eles começam, então, a se comunicar através de bilhetes. E em meio à trajetória – que pode ser vista como uma metáfora sobre a importância da empatia para que qualquer amor funcione –, os protagonistas vivem reviravoltas dramáticas que, no fim, prometem causar um suspiro emocionado.

➨ Nacionalidade: Japão
➨ Gênero: Romance
➨ Duração: 1h50
➨ Lançamento: 2017
➨ Direção: Makoto Shinkai
➨ Dublagem: Ryûnosuke Kamiki, Mone Kamishiraishi e Masami Nagasawa

4. Uma História de Amor e Fúria | Para Adultos

O longa de animação nacional Uma História de Amor e Fúria acompanha a saga de Abeguar, um índio tupinambá que após o massacre de seu povo se transforma em um guerreiro imortal que percorre séculos em busca do amor de sua vida, Janaina, uma mulher forte que está sempre disposta a lutar pelos seus ideais.

Vivendo por mais de seiscentos anos, o guerreiro imortal vive aguardando a amada nas várias reencarnações de Janaina. Ao longo do tempo, o Brasil é palco de suas tentativas para viver essa história de amor e suas desilusões.

Mas, além de um romance épico, Uma História de Amor e Fúria é um filme sobre história e as relações de poder que elas revelam. É sobre resistir frente às opressões, desigualdades e injustiças e o perigo de uma sociedade que esquece seu passado.

O romance dos protagonistas acontece enquanto exibe diferentes momentos do povo brasileiro, indo desde a invasão portuguesa até um futuro distópico onde o Rio de Janeiro é controlado por milícias e a água é a grande riqueza disputada, passando por episódios relevantes como a Balaiada e a Ditadura Militar.

➨ Nacionalidade: Brasil
➨ Gênero: Ficção Histórica, Ficção Científica, Romance, Fantasia, Aventura, Drama
➨ Duração: 75 min
➨ Lançamento: 2013
➨ Direção: Luiz Bolognes
➨ Dublagem: Camila Pitanga, Selton Melo e Rodrigo Santoro e mais

5. Spirit: O Corcel Indomável | Para a Família

No final do século XVII, em pleno Oeste norte-americano, vive Spirit, um cavalo que resiste a ser domado pelo homem. Ele não quer se curvar a submissões e maus-tratos. E as entrelinhas mais bacanas da trama já começam aí. Representando a necessidade de autoconhecimento e de não aceitar nada que diminua os próprios valores, Spirit traz mensagens diversas sobre esperança, liberdade e respeito.

Ele se apaixona por uma égua local, chamada Chuva, e desenvolve uma grande amizade com um jovem índio Lakota chamado Pequeno Rio. Juntos, eles acompanham a colonização do local onde vivem, percebendo as mudanças que a chegada da civilização fazem em seu dia a dia.

Feito para arrancar lágrimas, o longa apresenta diversos debates éticos e um olhar sensível em relação a tudo o que o ser humano foi desolando na natureza. A produção é uma pérola cinematográfica, tanto pela moral ética quanto pelo trabalho estético repleto de poesias visuais.

➨ Nacionalidade: EUA
➨ Gênero: Aventura
➨ Duração: 1h23
➨ Lançamento: 2002
➨ Direção: Kelly Asbury, Lorna Cook
➨ Dublagem: Matt Damon, James Cromwell, Daniel Studi

6. Com Amor, Van Gogh | Para Adultos

Com Amor, Van Gogh é um filme visualmente encantador que se baseia nas obras de Vincent Van Gogh para narrar a vida do renomado pintor, em meio a uma aura de mistério detetivesca.  

Um ano após o suicídio do pintor, Armand Roulin, à pedido de seu pai, viaja ao interior da França com a missão de entregar uma carta que Van Gogh teria escrito ao irmão Theo. Em sua jornada, o jovem Armand coleta relatos e passa a conhecer mais sobre a curiosa figura do artista. Assim, se engaja em uma investigação, colocando em dúvida a causa de sua morte.

A trama é envolvente, mas o que mais impressiona na obra são as técnicas empregadas que garantem um espetáculo de tirar o fôlego. Mais de 120 pintores trabalharam frame a frame, se valendo das técnicas utilizadas pelo artista para reproduzir a estética, cores e texturas características de Van Gogh, referenciando suas obras mais famosas. Imperdível para os amantes de arte.

➨ Nacionalidade: Reino Unido e Polônia
➨ Gênero: Drama Biográfico, Suspense
➨ Duração: 95 min
➨ Lançamento: 2017
➨ Direção: Dorota Kobiela e Hugh Wekchman
➨ Dublagem: Douglas Booth, Jerome Flynn, Saoirse Ronan e mais

7. Viva, A Vida é uma Festa | Para a Família

Vencedor de duas estatuetas do Oscar, incluindo o de Melhor Filme de Animação, Viva: a Vida é Uma Festa apresenta Miguel, um menino de 12 anos que quer muito ser um músico famoso, mas ele precisa lidar com sua família, que desaprova seu sonho.

Determinado a virar o jogo, ele acaba desencadeando uma série de eventos ligados a um mistério de 100 anos atrás. A aventura, com inspiração no feriado mexicano do Dia dos Mortos, provoca uma extraordinária reunião familiar.

A valorização da família, assim como a importância da empatia, os processos de luto (não o ignorando) e a importância de questionar o mundo e lutar pelo que acredita aparecem no longa em conexão com diversas outras mensagens profundas. Emocionante, o filme da Disney–Pixar (único deles desta lista) tem momentos divertidos e aventurescos intercalados com esses mais introspectivos, além de trazer pontos curiosos como detalhes sobre a cultura latina.

➨ Nacionalidade: EUA
➨ Gênero: Fantasia, Comédia, Mistério, Musical, Aventura
➨ Duração: 1h45min
➨ Lançamento: 2018
➨ Direção: Lee Unkrich, Adrian Molina
➨ Dublagem: Anthony Gonzalez (VIII), Benjamin Bratt, Gael García Bernal

8. O Príncipe do Egito | Para a Família

No Egito antigo, quando os hebreus lá viviam como escravos, o faraó Seti teme o constante nascimento de crianças hebréias, pois no futuro elas poderiam se tornar uma força que ameaçasse seu poder. Assim, ele ordena que todos os bebês hebreus do sexo masculino sejam afogados.

Uma hebréia se desespera ao ver que seu filho poderá ser morto e, para salvá-lo, o coloca em uma cesta no rio. A criança acaba sendo encontrada pela rainha, assim Moisés é criado como irmão de Ramsés, o herdeiro do trono de Seti.

Os dois crescem e se tornam grande amigos, mas Moisés acaba descobrindo sua origem e decide abandonar o palácio para libertar os hebreus e levá-los para a Terra Prometida.

A trama, para quem conhece a história de Moisés, é de cunho religioso. Mas, independente de quaisquer crenças, a obra fica válida para todos, tanto por conta das lições de solidariedade e de cuidado com o poder quanto pelos detalhes estéticos, belíssimos e inovadores para a época em que o filme veio ao ar.

➨ Nacionalidade: EUA
➨ Gênero: Aventura, Drama
➨ Duração: 1h39min
➨ Lançamento: 1998
➨ Direção: Steve Hickner, Simon Wells, Brenda Chapman
➨ Dublagem: Val Kilmer, Ralph Fiennes, Jeff Goldblum

9. O Menino e o Mundo | Para a Família

Nessa produção nacional, um menino vive em uma pequena cidade do campo com seus pais. Devido a falta de trabalho, seu pai vai em busca de uma nova oportunidade na cidade grande. Mas, a saudade é tão grande, que o menino resolve ir atrás dele. Lá, o garoto descobre um mundo cinza, totalmente diferente daquele colorido em que sempre viveu.

O longa foi indicado ao Oscar como Melhor Animação em 2016 e, mesmo não trazendo o prêmio para o país, o filme demonstra a grandeza que produções nacionais podem alcançar, incluindo pela trilha sonora.

Sem falas, a obra consegue ser emocionante com seus traços simples, os quais chegam a lembrar o giz. É um longa que aborda temas como pobreza, desigualdade social, consumismo e exploração de trabalhadores. Todo o caos da cidade grande é visto através da visão inocente do menino.

O Menino e o Mundo é considerado um dos melhores filmes brasileiros da atualidade. A obra é sensível e emocionante, ao mostrar a realidade nua e crua, o que leva o o espectador a refletir sobre o cotidiano corrido e estressante em que vivemos.

➨ Nacionalidade: Brasil
➨ Gênero: Família, Aventura
➨ Duração: 1h20
➨ Lançamento: 2013
➨ Direção: Alê Abreu
➨ Dublagem: Vinícius Garcia, Alê Abreu, Alfredo Rolo

10. A Viagem de Chihiro | Para a Família

Chihiro é uma garota de 10 anos que acredita que todo o universo deve atender aos seus caprichos. Após saber através de seus pais que estarão mudando de cidade ela fica furiosa, sem fazer nenhum esforço para esconder sua raiva.

Em meio a lembranças de seus amigos que terá que deixar, Chihiro percebe que seu pai se perdeu no caminho para a nova cidade onde irão morar, indo parar defronte um túnel aparentemente sem fim.

Famintos, os pais de Chihiro decidem comer a comida que está disponível em uma das casas, enquanto que a própria Chihiro decide explorar um pouco a cidade sem habitantes. Entretanto, logo ela encontra com Haku, um garoto que lhe diz para ir embora o mais rápido possível.

Ao reencontrar seus pais, Chihiro fica surpresa ao ver que eles se transformaram em gigantescos porcos, enquanto misteriosos seres começam a surgir do nada. Enquanto vive nesse mundo fantasma, povoado por seres fantásticos e no qual humanos não são bem-vindos, a menina vai passando a ficar mais grata pelo que já tinha e pela família que deixa saudade.

➨ Nacionalidade: Japão
➨ Gênero: Aventura
➨ Duração: 2h05
➨ Lançamento: 2001
➨ Direção: Hayao Miyazaki
➨ Dublagem: Rumi Hiiragi, Miyu Irino, Mari Natsuki

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas