39% dos candidatos inscritos nas cotas raciais do concurso da Câmara não eram negros

satélite
09.08.2018, 05:00:00

39% dos candidatos inscritos nas cotas raciais do concurso da Câmara não eram negros

por Luan Santos

Cerca de 40% dos candidatos inscritos nas cotas raciais do concurso da Câmara Municipal de Salvador não eram negros. Eles foram identificados pela comissão de verificação para averiguar se, de fato, tinham o fenótipo requisitado e acabaram desclassificados pelos integrantes do colegiado. No total, 39% dos cotistas foram eliminados e terão os nomes enviados ao Ministério Público estadual (MP), que poderá entrar com ação contra eles por fraude. Eles podem recorrer da desclassificação. A seleção teve 300 candidatos que se autodeclararam negros, mas parte deles não participou da verificação. O resultado será apresentado amanhã. Das 60 vagas previstas no concurso, 30% são reservadas para negros.

Balanço
A Comissão Especial de Verificação da Autodeclaração (Ceva), que encerrou ontem os trabalhos, foi formada por integrantes do Legislativo, do Executivo e do movimento negro. Com a identificação dos candidatos ilegais, o colegiado foi considerado um sucesso. 

Primeira instância
O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o envio de um inquérito contra o  deputado federal Mário Negromonte Júnior (PP) ao Tribunal Regional Eleitoral da  Bahia (TRE). O parlamentar é investigado por suposta prática de crime de falsidade  ideológica durante as eleições de 2014, quando foi eleito para a Câmara. A decisão,  do ministro Luiz Fux, segue o entendimento adotado recentemente pela Corte  Suprema de restringir o foro privilegiado a deputados e senadores. Como os fatos  apurados não foram praticados durante o mandato, o caso do pepista será julgado  agora pelo tribunal baiano. 

Juntos e misturados
O Podemos na Bahia quer a presença do senador Álvaro Dias, candidato do partido à  Presidência da República, no palanque do governador Rui Costa (PT). Embora o PT  tenha como candidato o ex-presidente Lula, com o também petista Fernando Haddad  como vice, a sigla entende que a lógica é Dias ser recebido na Bahia por Rui. “O candidato do Podemos ao governo é Rui. Então, o palanque de Álvaro na Bahia é o de Rui. A lógica é essa, mas nem sempre a política se dá bem com a lógica”, diz o presidente  estadual da legenda, deputado Bacelar.

Em alta
Candidata a vice-governadora, a médica Mônica Bahia (PSDB) tem impulsionado a chapa de Zé Ronaldo (DEM) no interior do estado. Antes de se firmar na capital, ela atuou em diversas cidades baianas e ficou conhecida pelo trabalho entre os profissionais da saúde e população. Integrantes da oposição dizem que, nos eventos do democrata, ela tem dado fôlego à coligação e ampliado o diálogo com integrantes da saúde.

Aliança maior
Presidido na Bahia pelo deputado federal Uldurico Junior, o PPL definiu em convenção que vai apoiar a chapa de Zé Ronaldo ao governo. Na proporcional, a sigla vai formar coligação com PSC, PTB e SD, que integram o arco de alianças do democrata. Zé Ronaldo reúne, agora, o apoio de 11 partidos. 

"É necessário avançarmos na aplicação da Lei Maria da Penha, na quantidade de varas especiais, na quantidade de delegacias de proteção à mulher e na educação da população brasileira", Alice Portugal, deputada federal, do PCdoB, ao lembrar dos 12 anos da aprovação da Lei Maria da Penha, completados ontem, em discurso na Câmara. Para a parlamentar, a legislação é uma das mais importantes e avançadas do mundo

Pílula
Fim da música -
Após seis anos, o maestro que comandava o coral da Assembleia Legislativa teve o  contrato com a Casa encerrado por causa de uma postagem no Facebook. Segundo fontes da Satélite, ele teria se posicionado contra a candidatura de filhos de políticos na rede social, o que desagradou uma integrante da direção do Legislativo estadual.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas