A luta do artista é viver com dignidade do seu ofício

césar romero
13.09.2021, 05:00:00

A luta do artista é viver com dignidade do seu ofício

A arte de Alfredo Volpi (divulgação)

Artistas visuais levam o expectador a miragens poéticas. A arte é produção simbólica, movida pela necessidade interna de buscar sentimentos na liberdade da criação. Criar é organizar o caos. Se cria a partir do nada, portanto, criação. A finalidade da arte está nela própria. O criador vive o experimentar, buscando focos que estabeleçam rumos, e estejam inseridos no cotidiano, no registro das ideações, nas capacidades de interagir e participação coletiva. Necessários discernimentos, busca de sociabilidade no encontro da arte com o outro, numa troca entre o fazer e o perceber. No redefinir das imagens sígnicas e figuras, que acendam lembranças remotas. Um jogo sensível entre linguagens. 

 A lógica e a emoção são coisas distintas, mas podem perfeitamente unidas, como devem, fluírem para um produto chamado arte. Somações de vivências, colcha de retalhos da memória, onde se constrói essência. Caminhos simultâneos, distintos, similares, podem fazer parte do ideário de qualquer criador. Integrações entre linguagens visuais e verbalizadas aprimoram o produto. Quase todos os grandes artistas desde os primórdios da Historia da Arte escreveram justificando seus trabalhos: era uma busca de prestar contas ao púbico, aos críticos de arte e historiadores. Eles detalhavam o fazer, o que buscavam e o que julgavam mais importantes na empreitada. 

Durante a fase áurea do Impressionismo, o mundo se rendeu a nova corrente, virou uma febre, mas hoje assentada a poeira quem se lembra de quinze nomes? 

A moda tem destas coisas. Acabada ficam pouquíssimos grupos. Existiram enquanto a competição entre eles não eram acirradas. Quando começava, esvaziavam-se os grupos. 

Uns preferem o silêncio, caso lapidar de Alfredo Volpi; outros a extravagância e o escândalo como Demien Hirst. Quem acerta mais? Quem é mais alma? 

Teóricos ou apenas de ação, ou os dois, artistas valem sempre por inovarem, cuidarem de estranhamentos inventivos, outro lugar da memória. Evocações que se atualizam no ato inventor. 

As grandes teorias da arte mudaram o mundo, as grandes ações também. Juntos criaram um repertorio que engrandece e dignifica a raça humana. 

A luta do artista é viver com dignidade do seu ofício, coisa que a cada dia se torna mais difícil. Muitos procuram fontes alternativas de renda, outras atividades que somadas proporcionam uma vida mais confortável. Muitos ensinam história da arte em colégios, dão aulas particulares, trabalham em museus, galerias de arte, agências de marketing e propaganda, entre outras atividades. Mas não desistem da arte, que é o sentido maior de sua existência. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas