Abandonado pelos pais, ‘Buiu’ revela que Carlos Alberto de Nóbrega tentou adotá-lo

em alta
22.09.2020, 09:31:01
Atualizado: 22.09.2020, 09:35:14
(Foto: Divulgação)

Abandonado pelos pais, ‘Buiu’ revela que Carlos Alberto de Nóbrega tentou adotá-lo

Nascido em Caetité, na Bahia, humorista ficou famoso na 'Praça é Nossa'

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Aos 39 anos, Edvan Rodrigues de Souza, que ficou conhecido como Buiu da Praça é Nossa, relembrou detalhes da sua infância durante entrevista ao Canal da Lisa Gomes, no YouTube. No bate-papo ele disse que Carlos Alberto de Nóbrega chegou a tentar adotá-lo.

Buiu nasceu em Caetité na Bahia e contou que sua mãe foi abandonada pelo companheiro quando estava grávida. Com isso ela acabou indo morar na rua até ser acolhida por um albergue, onde Buiu nasceu e viveu até os quatro anos de idade. “Sou ex-garoto de rua, nasci num albergue na Bahia, em Caetité. Fui recusado pelo meu pai dentro da barriga da minha mãe, e ela tinha problemas psicológicos, bebia muito. Enquanto minha mãe ficava bebendo, eu estava no lixo procurando o que comer”, lembra.
 
Aos quatro anos de idade ele conheceu um homem que chegou de São Paulo para visitar seus irmãos em Caetité. O rapaz tinha o sonho de adotar uma criança e gostou muito do jeito de Buiu. A mãe do humorista deixou, e o humorista partiu para São Paulo.

Chegando lá, Buiu descobriu que o pai adotivo queria fazer uma surpresa para esposa, que não sabia de nada e não gostou da atitude do marido. “Fiquei na casa da vizinha um mês porque ela não aceitava e não concordava. Depois fui pra casa deles e ela ainda tinha ciúmes e me maltratava e como meu pai era comerciante, ele saía pra comprar as coisas no comércio e enquanto isso ela me maltratava. Apanhava bastante, me empurrava, batia minha cabeça na parede, me ameaçava com faca” lembra.

A sua estreia na Praça é Nossa foi pouco depois de chegar à São Paulo. Com um violinha de plástico ele chamava a atenção dos fregueses do bar do pai. Depois de despertar a atenção de muita gente, Buiu foi ao SBT fazer um teste para o programa e passou.

Foi nessa época que Carlos Alberto se comoveu com a história do garotinho que já tinha conquistado o país, “Quando meu padrasto faleceu eu fui pro juizado de menor, ela ia me entregar ao juizado, só que o Carlos Alberto ficou sabendo e ia me adotar, era pro Carlos Alberto de Nóbrega me adotar, ele pensou em me adotar, só que a vizinha que eu fiquei na casa dela durante um mês, ficou sabendo e foi na frente e conseguiu a papelada da adoção. Era pra ser filho do Carlos Alberto de Nóbrega. Quando ele ficou sabendo que eu ia ser entregue para o juizado, começou a correr atrás da adoção, eu tinha uns 7 anos. Adotando ou não, ele é meu paizão”, revela.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas