Abertura de comportas em Pedra do Cavalo não tem relação com tremores

bahia
30.08.2020, 13:25:00
Atualizado: 30.08.2020, 19:18:49
Barragem abastece Recôncavo e parte de Salvador (Foto: Reprodução/ Arquivo)

Abertura de comportas em Pedra do Cavalo não tem relação com tremores

Operação foi para manutenção de uma das turbinas da unidade e já estava prevista

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Bastou a notícia de novos tremores de terra na Bahia se espalhar para que muita gente começar a prever o fim do mundo, neste domingo (30). Em Cachoeira e São Félix, no Recôncavo, o susto foi maior porque a Barragem de Pedra do Cavalo abriu as comportas e liberou 40 metros cúbicos de água. Mas os responsáveis disseram que essa operação já estava programada.

Segundo o grupo Votorantim, responsável pela administração da barragem, uma das turbinas por onde a água é normalmente evacuada passou por manutenção e, por isso, o volume de água foi liberado através dos vertedouros. Em nota, a assessoria disse que o procedimento é normal e segue as normas de segurança determinadas pelas autoridades.

A empresa disse também que a nova legislação aumentou a quantidade de água que pode ser liberada e permite o uso das comportas independentemente de haver ou não manutenção nas turbinas.

“Para atender a essa nova regra, o fluxo de água passará prioritariamente pelas turbinas da Usina podendo ser transferido para o vertedouro durante alguns períodos do dia, sem alterar a média diária estabelecida na regra operativa. Desta forma, durante a operação normal da Usina, será comum a população ver um pequeno fluxo de água no vertedouro”, diz a nota.

A empresa afirmou que a manutenção aconteceu neste sábado (29), que o volume de água liberado foi o mesmo que costuma passar pela turbina, e que não causou danos ao rio Paraguaçu. O serviço de manutenção foi concluído por volta de meia-noite.

Reavaliação
Posteriormente ao posicionamento, foi confirmado que houve um abalo sísmico (terremoto) de magnitude 4.6 na escala Richter. Sobre o fenômeno natural, ainda que incomum, a empresa voltou a se posicionar e informou que, por precaução, fez uma reavaliação da barragem.

"A Votorantim Energia, gestora da UHE Pedra do Cavalo, informa que realizou uma inspeção adicional na barragem e em seus equipamentos de segurança, em virtude do abalo sísmico ocorrido hoje, 30/08/2020, no Recôncavo Baiano. A medida foi tomada, apesar da ocorrência do epicentro acontecer cerca de 100 km de distância da barragem. Na inspeção visual e nos instrumentos de monitoramento, técnicos da unidade não identificaram nenhuma anormalidade, estando a barragem segura", diz o comunicado.

Moradores
A dona de casa Joseane Lima, 41 anos, ficou assustada com o terremoto e também chegou a suspeitar da barragem. “A gente está ouvindo falar e sentindo tremores de terra acontecendo na região e aí a barragem começa a liberar água, então, é claro que vamos ficar com medo. Bom saber que foi só manutenção, mas o susto foi grande”, disse.

Em Santo Antônio de Jesus tremor derrubou objetos das prateleiras de um mercado. Confira: 

Os tremores aconteceram no início da manhã e foram sentidos em diversas cidades do Recôncavo, como Santo Antônio de Jesus, Amargosa, e Muniz Ferreira, entre outras. Em alguns locais as prateleiras balançaram e objetos caíram. Recentemente, no último dia 19, Cachoeira também passou pela mesma situação. Neste domingo (30), moradores de alguns bairros de Salvador contaram que também sentiram o tremor.

Especialistas ouvidos pelo CORREIO explicaram que os terremotos são causados pela liberação de energias acumuladas. É como se existissem profundas cicatrizes abaixo da terra que, de tempos em tempos, irradiam para a superfície. Segundo o g eólogo e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), Carlos Uchôa. A maioria, no entanto, é fraca demais para ser percebida.

“A causa mais provável é a reativação das falhas geológicas, que acumulam tensão, ou seja, energia, que precisa, em algum momento, ser liberada. É um pequeno deslocamento de terra”, explicou.

As autoridades ainda estão tentando entender o que está acontecendo neste domingo, mas para os mais supersticiosos a explicação é simples, o problema é o ano de 2020.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas