Agricultores que cultivam produtos com preços em queda têm desconto de até 69% em financiamentos

economia
04.04.2019, 18:00:00

Agricultores que cultivam produtos com preços em queda têm desconto de até 69% em financiamentos

Bahia aparece entre os 20 estados beneficiados; bônus vale para parcelas de financiamentos que vencem até 9 de abril

Os produtores de mel da Bahia têm direito a um desconto de 20,75% na hora de pagar os financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) que tenham vencimento até o dia 9 de abril. O benefício foi obtido com base no Programa de Garantia de Preços do Ministério da Agricultura (MAPA).

O programa concede bônus de desconto para os agricultores que trabalham com produtos cultivados que registraram queda de preços no mercado. No caso do mel, no mês de fevereiro, enquanto o valor assegurado por tabela era R$ 8 por quilo, a mesma quantidade do produto estava sendo vendida no mercado por R$ 6,34 o quilo.

O benefício do desconto vale também para os produtores rurais da Bahia que cultivam borracha natural e castanha de caju. Para estes dois cultivos os descontos são bem menores, variam de 1,64% a 2,31%. A borracha natural vem sendo comercializada por R$ 2,11, ou seja, 5 centavos a menos do que o preço de garantia.

Já a castanha está sendo comercializada por R$ 2,40 o quilo, são quatro centavos a menos. Pode parecer pouco, mas para os agricultores, que produzem em grande quantidade, o desconto no financiamento faz a diferença.

Critérios

Além desses produtos, outros doze fazem parte da lista de contemplados, entre eles cacau, raiz de mandioca, açaí, feijão caupi, maracujá e manga. Mas nestes casos, o desconto só vale para os agricultores de outros 19 estados que registraram queda de preços destes cultivos.

Os critérios para concessão do bônus foram definidos a partir de informações fornecidas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), tendo como referência os preços praticados em fevereiro.

Além da Bahia, foram incluídos na lista geral os estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

O maior desconto da tabela será concedido para os produtores do Tocantins que cultivam feijão caupi, um bônus de 69,59% nas parcelas do crédito rural. Na região, a saca do quilo de feijão caiu de R$ 147,97 para R$ 45.

De acordo com o governo federal, a medida ajuda a estimular a diversificação da produção agropecuária, garante a sustentação dos preços da agricultura familiar, e favorece a manutenção das políticas de crédito e de comercialização. As tabelas com descontos são publicadas ao longo do ano, sempre que há queda prolongada de preços.



***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas