Alexandre Nero é comparado a sem-teto que ficou com esposa de personal no DF

em alta
18.03.2022, 12:45:00
(Reprodução )

Alexandre Nero é comparado a sem-teto que ficou com esposa de personal no DF

Ator compartilhou nas redes sociais uma das colagens

Bom humor. Foi assim que o ator Alexandro Nero encarou a situação de ser “confundido” com a pessoa em situação de rua que ficou conhecido nacionalmente ao ser flagrado tendo relação sexual com a esposa de um personal trainer em Planaltina, no Distrito Federal. 

No Twitter, o ator compartilhou uma montagem de fotos que circula em aplicativos de mensagem. A foto do ator aparece ao lado da do homem. Uma legenda diz que talvez ela tivesse confundido o sem-teto com Alexandre Nero. Em áudio veiculado pela TV Globo, a mulher diz ter “visto Deus” no homem. 

Entenda o caso 

No último dia 9 de março, o personal trainer foi flagrado agredindo um homem em situação de rua ao pegá-lo mantendo relações sexuais com sua esposa. A  primeira informação era a de que a Polícia Civil investigava o caso. 

Em depoimento prestado à polícia, o marido conta que pensou que a esposa, que tem 33 anos, estava sendo estuprada. No entanto, ele também afirmou que a mulher enfrenta problemas psicológicos.

Em alguns áudios, segundo a TV Globo, a mulher contou sua versão da história. Ela afirmou que viu "imagens do marido e de Deus" no sem-teto e que não tinha ingerido bebida alcoólica.

Ela disse que, inicialmente, foi abordada pelo sem-teto, que pedia dinheiro. Como ela não tinha, ele pediu para ver uma bíblia que o marido tinha dado à ela.

Em seguida, o sem-teto pediu um abraço e os dois entraram no carro. Ele começou a fazer carinho no pé dela e pediu para irem para outro lugar, onde marcaram um encontro.
 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas