Alvo da Faroeste, sobrinha de desembargadora perde cargo na Assembleia

satélite
17.02.2021, 06:00:00

Alvo da Faroeste, sobrinha de desembargadora perde cargo na Assembleia

Sobrinha da desembargadora afastada Maria Das Graças Osório Leal e investigada pela Operação Faroeste como operadora financeira da tia, a fisioterapeuta Karla Janayna Leal Vieira perdeu o cargo que tinha como assistente de cerimonial da presidência da Assembleia Legislativa, onde recebia aproximadamente R$ 7,2 mil por mês. Logo após assumir o comando da Casa, o novo presidente, Adolfo Menezes (PSD), exonerou Karla Janayna na primeira leva de demissões decorrentes da mudança de poder na Assembleia iniciada com a saída do deputado estadual Nelson Leal (PP) do posto.

Recordar é viver
Nas buscas feitas durante a primeira fase da operação contra a venda de sentenças na Justiça baiana, em novembro de 2019, a PF achou indícios de que a desembargadora transferia recursos ilícitos para a sobrinha, que ostentava padrão de vida bem acima do salário e da renda declarada. Incluindo, BMW financiada, gastos com cartão acima dos R$ 20 mil por mês e aluguel de imóvel de luxo no valor de R$ 4,3 mil.

Tchau, voltei!
Na vassourada de cargos na presidência da Assembleia, Adolfo Menezes também demitiu o ex-deputado estadual Reinaldo Braga, até então chefe de gabinete e número dois do antecessor. No entanto, Braga, um dos políticos mais longevos da Casa - até perder a reeleição em 2018, foram nove mandato seguidos -, não foi abandonado na bacia das almas pelo ex-colega de bancada. No mesmo ato em que o exonerou, Menezes o nomeou para o posto de assistente civil. O novo salário é ligeiramente mais baixo que o antigo, mas ainda assim além do mercado. De R$ 16.399 caiu para R$ 12.745.

Retrato interno
Presidente do DEM da Bahia e membro da Executiva Nacional do partido, o deputado federal Paulo Azi afirma que a cúpula da legenda é majoritariamente favorável ao distanciamento regulamentar do governo Jair Bolsonaro. “O Democratas está fechado com a postura de independência. É óbvio que há correntes que posicionam a favor de uma maior aproximação do partido com o Palácio do Planalto. Por outro lado, há também quem pregue ruptura clara e aberta. Mas a tese de independência continua sendo a dominante”, acrescenta Azi.

Olho no lance
É grande a expectativa da oposição sobre quando o Tribunal de Contas do Estado (TCE) vai apreciar o relatório de auditoria sobre a rumorosa compra dos respiradores pelo governo da Bahia, episódio que levou à queda do ex-chefe da Casa Civil estadual, Bruno Dauster, em junho do ano passado. À época, uma auditoria preliminar do TCE encontrou indícios de irregularidades no processo de aquisição, cujo prejuízo, segundo cálculos da Polícia Federal feitos ainda no início do inquérito, foi de pelo menos R$ 10 milhões.

Boca de espera
Desde que o relatório prévio do TCE foi concluído, o processo sobre os respiradores para pacientes da covid ainda não foi pautado. Para líderes da oposição, a demora é sinal de que  os auditores encontraram mais do que pensavam.

Daniel soube como poucos caminhar unido com todas as pessoas, de classes sociais e ideologias distintas. É esse bom trânsito que todos nós desejamos a ele na eternidade - David Rios, deputado estadual do PSDB, ao falar sobre a morte do irmão, o vereador da capital Daniel Rios (Patriota), anteontem, aos 46 anos

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas