Apenas 3% dos celulares roubados são recuperados e devolvidos na Bahia

bahia
12.05.2021, 16:00:00
(Agencia Brasil/Divulgação)

Apenas 3% dos celulares roubados são recuperados e devolvidos na Bahia

Para aumentar taxa, policia lançou o sistema Alerta Celular, que vai facilitar a devolução dos aparelhos aos donos

O roubo e furto de celulares é um dos crimes mais comuns enfrentados pelos baianos. Só em 2021, de janeiro a abril, cerca de 10 mil ocorrências do tipo foram registradas pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). Desses, apenas 3% foram recuperados e devolvidos para os seus respectivos donos.  

A informação foi passada pelo major Rubenilton Andrade, diretor de Avaliação Operacional da Superintendência Integrada da ação policial, durante o lançamento do Alerta Celular, sistema que promete aumentar a taxa de aparelhos devolvidos.  

“Quando recuperamos um aparelho, muitas vezes temos que entrar em contato com a operadora, fazer toda uma investigação e contactar o cidadão para devolver o celular. Isso é demorado. Temos centenas de aparelhos custodiados e não devolvidos atualmente”, disse o major.  

Com o Alerta Celular, a expectativa é também que a taxa de crimes caia e a prática de comprar celulares de procedência ilegal seja desestimulada. O sistema é similar a outros existentes em estados brasileiros, no qual as pessoas cadastram seu aparelho e comunicam à polícia em casa de roubo.

Leia mais: Alerta Celular promete auxiliar polícia na recuperação de smartphones roubados  

Só em Pernambuco, dados da Secretaria de Defesa Social (SDS) mostram que, com a implantação do programa, houve uma redução de 32,44% de roubos e furtos de aparelhos no estado. Durante a pandemia, em outubro de 2020, um mutirão foi feito para devolver 462 celulares apreendidos e recuperados naquele ano.   

Entenda como funciona o sistema:  
A população deve acessar o site alertacelular.ssp.ba.gov.br e fazer o cadastro do aparelho no sistema. Lá deverá ser informado o código IMEI do aparelho. Esse é uma espécie de identidade do celular, um número exclusivo que identifica o smartphone. O IMEI pode ser consultado discando *#06#, na nota fiscal ou na embalagem original do bem.   

Com o cadastro realizado, caso o celular seja alvo de criminosos, o proprietário pode entrar no site e ativar o alerta. Após esse passo, a vítima deve registrar o boletim de ocorrência em até 48 horas. Caso isso não seja feito, o alerta será cancelado. Nos casos de crimes sem violência física, é possível fazer o registro na Delegacia Digital, sem sair de casa. Mas se houver agressão, é necessário a presença em qualquer unidade da Polícia Civil e aguardar.    

Com o Alerta Celular, caso a polícia consiga recuperar o aparelho, vai identificar o dono e fazer a devolução. “Temos centenas de aparelhos custodiados e não devolvidos atualmente. Com esse serviço, vamos conseguir localizar com mais facilidade”, disse o major Rubenilton Andrade, diretor de Avaliação Operacional da Superintendência Integrada da ação policial, durante o lançamento do Alerta Celular.   

Major Rubenilton é o diretor de Avaliação Operacional (Foto: Alberto Maraux/SSP)

Nas abordagens, por exemplo, os policiais poderão consultar o banco de dados e verificar se o item apreendido ou em análise está cadastrado na página como fruto de roubo ou furto. Confirmado de que se trata de um equipamento de origem ilícita, ele é apreendido, encaminhado à Delegacia e, com base nos dados cadastrados no site, o dono é acionado através do e-mail cadastrado e o aparelho é devolvido. 

Leia mais: Celular salva vida de comerciante ao parar bala durante assalto em Maceió

Como se cadastrar no Alerta Celular: 
Passo 1: Descubra qual é o código IMEI do seu celular. Isso pode ser feito discando *#06#, na nota fiscal ou na embalagem original do aparelho.
Passo 2: Acesse o site alertacelular.ssp.ba.gov.br 
Passo 3: Clique em Cadastre-se aqui 
Passo 4: Preencha seus dados pessoais, dados de contato e três perguntas de segurança. Concorde que seus dados sejam utilizados na recuperação do aparelho e clique em Salvar.  
Passo 5: Uma mensagem foi enviada para o seu e-mail cadastrado com a senha de acesso. Entre novamente no Alerta Celular com o CPF e a senha indicada,  
Passo 6: Altere a sua senha. Coloque alguma de no mínimo seis caracteres, entre letras e números, com pelo menos uma letra maiúscula e uma minúscula.  
Passo 7: Entre novamente no sistema com a sua nova senha 
Passo 8: Clique em Incluir novo aparelho 
Passo 9: Preencha os dados do aparelho: marca, modelo e código IMEI. Clique em Salvar.  
Passo 10: Pronto. Agora seu aparelho já está cadastrado. Você ainda pode incluir outro celular, editar os dados do seu atual celular, excluí-lo em caso de venda e alertar no caso de roubo, furto ou perda.  

* Com orientação da subchefe de reportagem Monique Lobo. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas