Após 3 meses internado por covid, bombeiro militar recebe alta e ganha homenagem

salvador
11.06.2021, 21:18:55
Atualizado: 11.06.2021, 23:21:21

Após 3 meses internado por covid, bombeiro militar recebe alta e ganha homenagem

Geovanildo foi surpreendido pelos colegas ao sair do Hospital Português; veja vídeo

Após 86 dias internado com complicações da Covid-19, o sargento Geovanildo dos Santos de Oliveira saiu do medo ao alívio nesta sexta-feira (11), em sua alta hospitalar. Logo depois, veio a gratidão. Ele foi surpreendido pelos colegas do Corpo de Bombeiros da Bahia, profissionais de saúde e familiares em uma homenagem com direito a cartazes, balões e uma salva de palmas.

“Sofremos muito com a família durante esses quase três meses, a gente tem uma característica de companheirismo na unidade. Acompanhamos o processo desde o início, fazemos parte disso. Nós convivemos muito tempo juntos e assim como a gente participa das dores, também participamos das alegrias”, diz a major Keyla Macário, comandante de Geovanildo.

Parte da homenagem, ela conta que a esposa do sargento, Janaína Viana, também bombeira do 12º Grupamento de Bombeiros Militar, teve Covid e precisou ficar hospitalizada, um pouco antes dele. Mas a recuperação foi rápida e ela retornou para casa antes do marido, para cuidar das duas filhas, de 3 e 13 anos. 

O quadro dele foi mais complicado. Não só ficou intubado, como também teve um acidente vascular cerebral, um infarto e precisou fazer hemodiálise. Chamada de "rim artificial", a hemodiálise é indicada quando há perda significativa ou total das funções renais.

Enquanto estavam hospitalizados ao mesmo tempo, as filhas ficaram sob responsabilidades dos familiares, mas tiveram apoio dos colegas dos pais.

“Em momento algum ficamos afastados delas e quando Janaína saiu do hospital foi um alívio, porque a mais velha tem 13 anos. Ela me dizia ‘tia, toda vez que me ligam para falar de meu pai e de minha mãe, eu acho que algum deles morreu’, então a gente é convocado para fazer parte disso e temos que apoiar um ao outro mesmo, não tem jeito”, relata a major.

Keyla ainda conta que a ideia da homenagem ao sargento veio das várias homenagens aos bombeiros debilitados de Covid-19 que estão acontecendo no 5º Grupamento de Bombeiros Militar, em Ilhéus. “É muito importante dizer isso, porque é um trabalho magnífico. Lá, independente do quadro ter sido agravado, há uma homenagem. E como Geovanildo passou por tantas dificuldades, a gente se espelhou nessas homenagens e fizemos isso por ele”.

Ainda debilitado, o sargento segue em recuperação em casa. O CORREIO tentou contato com Janaína Viana, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas