Após morte em Nova Sussuarana, moradores queimam pneus e atravessam ônibus

salvador
19.09.2020, 15:40:00
Atualizado: 19.09.2020, 15:47:21
(Reprodução/Facebook e Reprodução/Twitter)

Após morte em Nova Sussuarana, moradores queimam pneus e atravessam ônibus

Franciana Dantas, 37 anos, foi atingida por bala; familiares acusam PMs e Polícia Civil diz que houve troca de tiros entre traficantes e policiais

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Após a funcionária de restaurante e empresária Franciana Cerqueira Santos Dantas, 37 anos, ter sido morta, vítima de bala perdida na noite de sexta-feira (18), na 4° Travessa Irmãos Coragem, no bairro de Nossa Sussuarana, em Salvador, moradores e amigos dela fizeram um protesto.

Eles queimaram pneus na pista e atravessaram dois ônibus na manhã deste sábado (19), segundo uma moradora do local, exigindo justiça e uma apuração rápida do crime. "Dois ônibus atravessados, PM, Rondesp, e Sussuarana inteira parada", escreveu uma moradora no Twitter.

O crime
Franciana Cerqueira Santos Dantas trabalhava em um restaurante no bairro de Ondina e tinha uma banca de hortifruti em São Rafael e estava voltando do trabalho, por volta das 20h, quando foi atingida pelo disparo. 

Amigos e familiares dela afirmam que o tiro foi disparado por um policial militar, que fazia rondas no momento em que ela foi baleada próximo à porta de casa. 

Segundo informou a Polícia Civil (PC), Franciana chegou a ser socorrida por moradores para o Hospital Geral Roberto Santos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Ainda segundo a PC, "a mulher foi atingida durante uma troca de tiros entre traficantes da região e policiais militares". 

O CORREIO entrou em contato com a Polícia Militar (PM-BA), que confirmou que policiais militares da 48ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Sussuarana) realizavam uma incursão na localidade de Nova Sussuarana, por volta das 20h, mas, segundo a instituição, não houve feridos.

"Policiais militares se depararam com homens armados com armas de fogo e foram recebidos a tiros. Houve revide, mas os perpetradores conseguiram fugir. Não houve registro de nenhum ferido e ninguém foi preso", diz a nota da PM.

Ainda de acordo com a PM, por volta das 22h30, uma guarnição da 48ª CIPM deslocou até o Hospital Geral Roberto Santos "a fim de apurar informações do Cicom (Centro Integrado de Comunicação) de uma mulher que teria sido baleada em Nova Sussuarana e socorrida por populares para o local, mas que não teria resistido. No hospital, o fato foi constatado e o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, foi acionado para as devidas providências e apurações".

Ainda na mesma nota enviada ao CORREIO, a instituição orienta que "denúncias ou suspeitas contra ações policiais-militares sejam formalizadas na sede da Corregedoria Geral da PMBA, situada na Rua Amazonas, nº 13, no bairro da Pituba, na Ouvidoria da Corporação através do 0800 284 0011 ou no site institucional www.pm.ba.gov.br no link da Ouvidoria".

A 2ª Delegacia de Homicídios (DH/Central) investiga o crime.

Franciana deixa marido e dois filhos - uma menina de 14 anos e um garoto de 9.

Até o final da manhã deste sábado, a família aguardava liberação do corpo da vítima, que estava no Departamento de Polícia Técnica (DPT) para realização de perícia.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas