Após TAC, clínica retoma marcação de consultas e exames gratuitos 

coronavírus
19.08.2020, 09:02:00
Atualizado: 19.08.2020, 09:02:58

Após TAC, clínica retoma marcação de consultas e exames gratuitos 

Os atendimentos começam a partir da próxima quinta-feira (20), de 12h às 20h, e precisam ser agendados por telefone

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Já estão sendo agendadas as consultas e exames médicos oferecidos gratuitamente para a população de Salvador em cumprimento a acordo feito entre o Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia e a Clínica Seta, localizada no 4º piso do Shopping Piedade. O termo de ajuste de conduta (TAC) prevê a oferta de 25 exames de eletrocardiograma e 25 consultas com clínico geral na unidade privada de saúde. Os atendimentos começam a partir da próxima quinta-feira (20), de 12h às 20h, e precisam ser agendados previamente por telefone.

Os pacientes interessados devem marcar os exames ou as consultas pelo telefone (71) 2107-1288 e levar RG, CPF e, no caso de exame, uma solicitação médica. No decorrer do ano, serão oferecidos atendimentos nas áreas de clínica geral, mastologia, ginecologia e ortopedia, além de exames de eletrocardiograma e densitometria óssea.

Com a reabertura dos shoppings em Salvador, a clínica Seta volta a prestar os atendimentos gratuitos à sociedade, que ficaram suspensos por causa da pandemia causada pelo novo coronavírus. Os atendimentos foram garantidos após a Seta firmar um termo de ajuste de conduta (TAC) com o MPT, que investigou a empresa e constatou que havia irregularidades na contratação de profissionais médicos. A clínica vai prestar um total de 600 atendimentos gratuitos para a sociedade por um ano.

No TAC, a clínica se comprometeu, ainda, a corrigir as irregularidades e contratar os médicos em regime de CLT e não mais como pessoa jurídica. Em função do tempo em que a Seta contratou os profissionais de forma irregular, a procuradora do trabalho Larissa Amorim, responsável pelo inquérito, concluiu que a clínica teria de indenizar a sociedade por danos morais coletivos, o que foi viabilizado através da oferta de serviços gratuitos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas