Araci: número de crianças internadas com suposta contaminação de água sobe para 21

bahia
16.09.2020, 18:20:40
Atualizado: 16.09.2020, 22:17:38
Embasa realiza novas coletas de água no município de Araci (Foto: Divulgação/Embasa)

Araci: número de crianças internadas com suposta contaminação de água sobe para 21

Embasa e Lacen analisam água da cidade; criança de 1 ano e 8 meses morreu

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Mais duas crianças foram internadas no Hospital Municipal de Araci com suspeita de contaminação pela água na comunidade de Lagoa do Boi, segundo a secretaria de saúde da cidade. Os casos começaram a aparecer há uma semana, quando um menino de 1 ano e 8 meses morreu após passar mal. Desde lá, foram hospitalizados 23 doentes. Já receberam alta 7 pacientes.

Os novos casos de internamento são mais leves, o que permite que eles continuem no hospital da cidade. Outras 8 crianças também foram internadas no município e 11 foram encaminhadas para o Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana. Os únicos dois adultos hospitalizados estão no Hospital Português, em Salvador. 

Agora à noite, a secretária de saúde do município, Ana Ofélia Marques, confirmou que os dois adultos internados na capital foram diagnosticados com rotavírus, que é provocado pelo consumo de água ou alimentos contaminados por vírus. 

Ainda de acordo com a gestora, na terça (15), os moradores da comunidade de Lagoa do Boi denunciaram a suposta contaminação, o que deu início a um inquérito policial para apurar o fato.

O abastecimento nas localidades de Lagoa do Boi, Lagoa dos Cavalos e Jurema continuará interrompido até que todas as evidências da qualidade da água distribuída nas comunidades sejam apresentadas à Vigilância Sanitária, informa a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa).

Os resultados dos testes realizados pela Embasa em amostras de água do local indicam que o produto distribuído na região “tem cloro residual dentro de padrão recomendado pelo Ministério da Saúde e não tem presença de microrganismos nocivos à saúde ou que coloquem em risco a saúde da população”. Outras análises ainda serão realizadas pela companhia. O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) também realiza análises, mas ainda não obteve resultados.

Na manhã desta quarta (16), técnicos da Embasa coletaram novas amostras no reservatório do sistema de abastecimento para analisar mais parâmetros de potabilidade e, assim, chegar a evidências conclusivas sobre a qualidade da água distribuída no local.

Em nota, a Embasa afirma que o trabalho de investigação ainda inclui a coleta de amostras nos açudes que existem nas localidades de Lagoa do Boi, Lagoa dos Cavalos e Jurema, que são utilizados como fontes alternativas de abastecimento pela população. Carros pipas e os próprios moradores captam água nesses reservatórios.

Ainda segundo a Embasa, as três localidades são abastecidas pelo aquífero Tucano cuja água subterrânea é de excelente qualidade, necessitando somente de desinfecção para ser distribuída. 

“Esse manancial abastece, além dessas três localidades, aproximadamente mais 50 localidades nos municípios de Araci, Tucano e Santa Luz, sendo que nelas não foram registrados casos de mal-estar na população”, conclui a Embasa.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas