Arma cenográfica que matou diretora tinha munição real, diz Sindicato de Hollywood

em alta
22.10.2021, 19:12:38
Atualizado: 22.10.2021, 19:17:22
(Sonia Recchia/Getty Images/AFP; Angela Weiss/AFP)

Arma cenográfica que matou diretora tinha munição real, diz Sindicato de Hollywood

Halyna Hutchins, 42, morreu após disparo acidental efetuado por Alec Baldwin; polícia ainda analisa a munição

A arma cenográfica que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins, de 42 anos, estava carregada com munição real, disse um sindicato de Hollywood em uma mensagem enviada aos seus membros e reproduzida pela revista Variety e o site IndieWire.
 
"Uma munição verdadeira foi acidentalmente disparada no set pelo ator principal, atingindo a diretora de fotografia Halyna Hutchins, integrante da Local 600, e o diretor Joel Souza", disse uma filial da Aliança Internacional de Funcionários de Produções Cênicas (IATSE).
 
Apesar da afirmação, a polícia ainda está investigando o caso. As autoridades ainda apuram como o incidente aconteceu e qual munição foi usada.
 
O caso
 
A diretora de fotografia e o diretor do filme "Rust", estrelado por Alec Baldwin, foram baleados pelo próprio ator durante um aparente acidente no set de filmagens nos Estados Unidos, nesta quinta-feira (22).

Halyna Hutchins, de 42 anos, acabou morta, e Joel Souza, 48, foi ferido, disse o xerife de Santa Fé, estado do Novo México, ao New York Times. 

O acidente aconteceu após os disparos com uma arma cenográfica. “Detetives estão investigando como e que tipo de munição foi disparada", afirmou a polícia de em comunicado. "O incidente permanece como uma investigação em andamento. Quando novas informações forem levantadas, atualizações serão fornecidas." 

Halyna foi levada de helicóptero para o Hospital da Universidade do Novo México em Albuquerque, onde acabou morrendo mais tarde, disse o xerife. Já Joel foi levado ao Centro Médico Regional CHRISTUS St. Vicent, em Santa Fé.

Após o ocorrido, as gravações de “Rust” foram suspensas. O longa é um faroeste protagonizado e coproduzido por Baldwin, e dirigido por Joel Souza.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas