Associação leiloa amanhã sêmen de cavalos com lance mínimo de R$3 mil

minha bahia
10.04.2019, 06:05:00
(ACCCBA)

Associação leiloa amanhã sêmen de cavalos com lance mínimo de R$3 mil

Pregão será às 19h no Parque de Exposições; serão leiloados 34 lotes de coberturas e 3 embriões de éguas campolinas

O leilão é de equinos, mas os cavalos não serão leiloados. É o sêmen, o material genético também chamado de cobertura, que irá para o pregão. O Leilão Premium de Coberturas de cavalos da raça campolina está marcado para às 19 horas desta quinta-feira (11/4), no Parque de Exposições de Salvador.

Os lances iniciais dos sêmens custam, em média, entre R$ 2.500 e R$ 3.000 cada, mas há casos de coberturas que alcançam R$ 10.000. Os sêmens mais caros são de cavalos campeões, aqueles considerados bons garanhões.

“Quanto mais o garanhão demonstra qualidade na reprodução dos filhos, mais ele é valorizado. Isso mostra o potencial de cobertura dele e a capacidade do animal de gerar potros de alta genética” explica Jorge Libório, Presidente da Associação de Criadores de Cavalos Campolina da Bahia (ACCBA).

Vão ser leiloados 34 lotes de coberturas e 3 embriões de éguas campolinas. Todo o material genético foi doado por criadores de várias partes do Brasil, e a renda vai ser revertida para a manutenção da associação baiana de cavalos campolina. A expectativa é arrecadar mais de R$ 100.000 com os lances.

Quincas de São João é um dos campeões nacionais da raça campolina e pertence a um criador da Bahia. O sêmen custa R$ 5 mil. (Foto: ACCCBA)

Leilão virtual

Não adianta ir ao parque para ver os animais de perto, eles continuam nas fazendas. É que o leilão vai ser virtual, uma modalidade não convencional de pregão que tem se tornando frequente em várias partes do mundo.

O sistema é simples. Dias antes do leilão os lotes são exibidos pela internet, e os futuros compradores começam a enviar os lances. Na hora marcada para o fim do pregão o “martelo” é batido pelos organizadores, e o resultado é anunciado. Tudo acontece na esfera virtual. A diferença desta vez é que o resultado final será divulgado no Parque de Exposições de Salvador durante um evento da associação.

“O leilão virtual é uma tendência para baratear custos. Os leilões presenciais estavam se tornando muito caros, inviáveis, inclusive por que envolvem o transporte de animais", argumenta Libório. "No formato virtual nós disponibilizamos os vídeos e as fotos, e compartilhamos informações também nos grupos de whatsapp. Depois do leilão, os compradores recebem o sêmen e fazem a inseminação”, acrescenta. Empresas especializadas se encarregam de fazer o transporte do sêmen até o local indicado pelo comprador.

Para concretizar o sonho de muita gente o pagamento geralmente é facilitado. Por exemplo, no leilão da ACCCBA, já em andamento no site, o pagamento do sêmen pode ser dividido em até 12 parcelas com cartão de crédito.

Campolina em alta

A campolina é uma raça cada vez mais valorizada. Os criadores evitam dizer qual o valor dos animais com exatidão. Além do fator genético, os prêmios conquistados em campeonatos e provas de pista fazem a diferença no preço. Na Bahia tem animais que custam entre R$ 50 mil e R$ 1 milhão. Mas um potro, animal com até 3 anos de idade, pode ser encontrado até por R$ 10 mil.

Conhecidos como os grandes marchadores brasileiros, eles têm conquistado muitos admiradores e entraram na lista de preferência de criadores exigentes. O rebanho campolina da Bahia é o segundo maior do país, atrás apenas do de Minas Gerais. O número de criadores da raça no estado dobrou nos últimos 10 anos e atualmente chega a 250 pessoas.

Real do Bandarra tem vários títulos de campeão em exposições nacionais. O sêmen pode ser comprado por cerca de R$ 5 mil. Foto: ACCCBA 

Genuinamente brasileira

A campolina é considerada uma raça originária do Brasil, por ter sido selecionada pelo fazendeiro mineiro Cassiano Campolina em 1870. Conta a lenda que ele decidiu criar cavalos mais fortes e de bom andamento por varios motivos. O produtor rural queria usar os animais no transporte dentro das fazendas, na montaria, e principalmente na tradicional cavalhada, uma manifestação cultural em que os cavalheiros representam a batalha entre mouros e cristãos.

A campolina teria surgido depois de vários cruzamentos entre a raça andaluz, a anglo-normando, o puro sangue inglês e o mangalarga marchador. A partir de 1910, depois de mais de quatro décadas de história, a raça começou a ganhar reconhecimento internacional.

Padrão

Os padrões estabelecem que os melhores cavalos da raça campolina devem ter estrutura óssea com boa musculatura, formas harmoniosas, crinas fartas, garupa longa e andamento marchado. Mas uma das características mais marcantes desta raça é a cabeça levemente redonda, que forma uma espécie de arco curvilíneo proporcional ao pescoço.

O animal macho deve ter altura mínima de 1,54 centímetros, enquanto as fêmeas devem ter no mínimo 1,46 centímetros de altura. A cor da pelagem também chama a atenção. Alazões, castanhos, pretos ou pampas são facilmente encontrados, porém o tom de pelagem predominante é baio, uma cor que lembra a mistura de café com leite.

Serviço

O que: 1º Leilão Premium Coberturas - Campolina Marchador

Quando: 11 de abril de 2019, às 19 horas

Onde: Parque de Exposições de Salvador

Pré-lances: www.asjleiloes.com.br

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas