Bahia deve receber mais de US$ 10 bilhões em investimentos minerais até 2024

donaldson gomes
23.10.2020, 05:00:00

Bahia deve receber mais de US$ 10 bilhões em investimentos minerais até 2024


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um futuro promissor
A Bahia deve receber 28% do total de investimentos previstos para a mineração brasileira até o ano de 2024, de acordo com projeções do Instituto Brasileiro da Mineração (Ibram). A estimativa é que novos negócios ou ampliações de projetos existentes demandem US$ 10,5 bilhões até lá, para a produção de cobre, ferro, zinco, níquel, magnesita, bauxita, ouro, vanádio e calcário. Só Minas Gerais tem previsão maior, com uma estimativa de US$ 12,5 bilhões. No terceiro trimestre deste ano, a atividade mineral faturou R$ 1,7 bilhão aqui na Bahia, segundo o Ibram. O estado foi o quarto do país em recolhimento de CFEM (os royalties do setor). “A perspectiva para os próximos trimestres é manter a curva ascendente nesses indicadores, desde, é claro, que a pandemia ou outros fatores não interfiram no desempenho industrial, no Brasil e nos mercados compradores de minérios”, avalia Flávio Penido, diretor-presidente do Ibram. 

Panorama de mercado 
Para 35,89% das agências de publicidade baianas, serão necessários mais de seis meses para recuperar a perda de faturamento com a crise do coronavírus, segundo dados da pesquisa VANPro (Visão de Ambiente de Negócios em Agências de Propaganda), realizada pela Federação Nacional das Agências de Propaganda (Fenapro), em parceria com o Sindicato das Agências de Propaganda do Estado da Bahia (Sinapro-Bahia). Apenas 5,33% das agências acreditam que não vão conseguir voltar ao patamar pré-crise, enquanto 33,33% delas dizem não ter experimentado queda em suas receitas. 

Dificuldades
Para quase 40% das agências baianas, o maior desafio no período é a captação de recursos, seguida pela gestão financeira, com 30,77% das respostas. 

Recorde de vendas
O processo de retomada frente à crise provocada pela pandemia tem sido super positivo para a indústria textil Polo Salvador. No mês de setembro, as vendas aumentaram mais de 30% em relação ao mês de agosto, representando, inclusive, o mês de maior faturamento da história da empresa, que possui mais de 10 anos no mercado. “Os meses de março, abril e maio foram os mais difíceis, mas conseguimos passar pelo ponto alto da crise sem demitir nenhum colaborador”, lembra Hari Hartmann, diretor da Polo Salvador.

RedeMix
A RedeMix avança em seu plano de expansão e inaugura em dezembro a décima quinta loja do grupo, com um investimento de R$ 15 milhões e a geração de 120 novos empregos. Essa unidade, em Ondina, é a segunda da rede que foi aberta este ano. Confiante na retomada da economia, a empresa se prepara para inaugurar outras duas unidades em 2021, uma delas no primeiro semestre, na Vitória, que vai integrar o projeto Vitória Boulevard, empreendimento imobiliário com um mix de serviços.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas