Baiano que viajou para 40 países ensina como acumular milhas

bahia
24.08.2020, 05:00:00
(Foto: Divulgação)

Baiano que viajou para 40 países ensina como acumular milhas

Engenheiro iniciou ajudando familiares a usar programas de fidelidade, acumulou mais de 20 mil seguidores e agora lança um livro

“Você pagou quanto para vir?”. O grupo de amigos do engenheiro baiano Rodrigo Góes, 32, estava em Florianópolis, Santa Catarina, e a brincadeira era disputar quem tinha gastado menos com a passagem aérea. Rodrigo tinha o costume de tirar onda com a galera por sempre descolar as melhores promoções, mas eis que havia chegado o dia do revés. 

“Nessa viagem, foram eles que me sacanearam. Lá, me perguntaram: ‘E aí, Góes, pagou quanto?’ Eu disse: ‘Tanto e vocês?’. Aí eles: ‘Nada, a gente veio com milhas’”, ri ele. Desse dia em diante, o engenheiro foi pesquisar sobre o assunto e, há pelo menos oito anos, vem ensinando familiares e amigos a economizar nas viagens usando os programas de milhas aéreas — um sistema de pontuação que se converte em benefícios para os clientes —, além de mostrar como garantir renda extra vendendo estes pontos de fidelidade nas companhias.

Mas foi há cerca de um ano que o engenheiro decidiu instruir mais pessoas através da sua conta no Instagram, que neste intervalo saltou de uns 500 seguidores para mais de 23 mil. Ao todo, Góes já acumulou mais de 70 milhões de milhas e, com elas, viajou para mais de 40 países. Conhecido como o Mago das Milhas, ele agora está prestes a lançar o primeiro livro, intitulado “O Mapa para Acumular 1 Milhão de Milhas”, no qual relata os seus aprendizados durante todo os anos investindo neste mercado. 

Nascido em Salvador, Rodrigo relata que não teve uma educação financeira transmitida pelos pais. Foi movido por curiosidade própria que foi conhecendo mais a partir de leituras, inicialmente com o livro Pai Rico, Pai Pobre — tido como a bíblia das finanças pessoais. 

“Sempre tive vontade de viajar, mas a gente quando é estudante não tem muita condição financeira para isso, já se vira como pode. No começo, eu usava milhas só para viajar e depois eu descobri que podia vender”, conta. Folheando classificados de jornal, Góes viu um anúncio de alguém negociando pontos e resolveu fazer o mesmo. Aí, pronto, logo recebeu ligação de uma agência de turismo, que comprou as suas milhas.

Atualmente, esse mercado já é muito mais consolidado, com plataformas online especializadas em compra e venda de milhas e passagens aéreas — como a Max Milhas, Hot Milhas e 123 Milhas.

Oportunidade
Foi só no ano passado, coincidentemente num encontro em um aeroporto, que um amigo insistiu que Rodrigo deveria compartilhar aquele conhecimento na internet. Na ocasião, o engenheiro contava para o colega que, só em 2019, tinha acumulado quase 7 milhões de milhas. Numa noite, ele então criou uma série de vídeos no Instagram perguntando se as pessoas gostariam de saber mais sobre o assunto. 

“Abri meu instagram em junho do ano passado para começar a falar sobre milhas, até então era fechado só para amigos. Postei o vídeo, algumas pessoas foram falando comigo, fui respondendo e depois fui dormir. Quando acordei, tinham umas 300 mensagens, foi tudo muito rápido”, recorda. 

Apostando nesta carreira, o empreendedor digital criou um curso com quatro turmas de 2 mil alunos, no total, e vem ensinando o pessoal a conseguir mais pontuações. Rodrigo conta que já recebeu depoimentos que vão desde uma mãe que não tinha dinheiro para visitar a filha em Portugal e aprendeu a usar as milhas, até empresários afetados pela crise econômica da covid-19, que têm conseguido renda extra vendendo seus pontos.

“Eu digo que milhas é um benefício que quase todo mundo tem, mas não sabe utilizar pela falta de formação e por isso acabam desperdiçando. Milha hoje é dinheiro, seja para você utilizar para viajar, para trocar por produtos, ou para fazer a venda dela e receber dinheiro por isso. Se você tem hoje um cartão de crédito e utiliza o cartão, você acumula pontos. Quem faz mau uso, tá jogando aquilo todo dia fora”, explica.

O empreendedor cita que um dos principais equívocos das pessoas é se martirizarem ao perder uma nota de R$ 100, mas não ligarem para o vencimento de 50 mil milhas, que podem valer cerca de R$ 4 mil. Ele explica que um ponto nos programas de cartões de crédito dos bancos costuma virar outro um ponto nos programas de fidelidade das empresas aéreas e deixar de transferi-los é sinônimo de dar bobeira. E é preciso ficar atento aos momentos em que os bancos oferecem bônus nessas transferências. Em alguns casos, dá para aumentar em até 70% a quantidade de milhas, adianta ele.

Outro grande erro que ele observa que as pessoas cometem é quando vão trocar milhas por produtos sem avaliar o preço do produto. Às vezes, a pessoa vende as milhas que valem duas a três vezes mais do que o produto.
 
Melhor época para investir
De acordo com Rodrigo, embora muitos setores estejam em crise, para ele nunca houve melhor época para apostar nas milhas aéreas. Com a pandemia, os países fecharam suas fronteiras com outras nações e mesmo nos próprios estados, os voos ficaram restritos e as pessoas deixaram de viajar. Consequentemente, devido a isso, a quantidade de milhas reduziu. 

No entanto, o empreendedor diz que o lado bom para este mercado é que, para incentivar o acúmulo de milhas, as companhias aéreas começaram a oferecer promoções muito mais agressivas e com mais flexibilidade de planejamento das passagens aéreas adquiridas com milhas. “Está sendo um momento muito bom para o acúmulo de milhas. As pessoas agora se planejam, acumulam mais e quando tudo voltar ao normal, quando a gente puder viajar, as pessoas estarão preparadas para viajar muito mais barato”, diz.

Para o ano que vem, se tudo der certo, ele mesmo já tem planos: dar a volta ao mundo com a esposa e a filha recém-nascida, compartilhando tudo com os seguidores. Rodrigo diz que, embora pudesse trabalhar produzindo conteúdo digital sobre viagens e milhas a partir de qualquer lugar do mundo, não abre mão de morar em Salvador.

“Minha terra, minha casa é Salvador. Morei no Rio de Janeiro por 4 anos, mas hoje com essa questão do mundo digital, a gente pode se tornar um nômade digital, escolher onde quer morar, mas não troco Salvador por nada porque é onde está a minha família, meus amigos, onde fui criado. Eu com a opção de viajar posso ir a qualquer lugar, mas a minha raiz é a Bahia”, afirma.

O Mapa para Acumular 1 Milhão de Milhas
Rodrigo Góes
100 páginas
Lançamento previsto: 3 de setembro
Vendas: Amazon
R$ 24,90

Capa do livro previsto para ser lançado em setembro (Foto: Divulgação)

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas