Baianos aproveitam o final de semana para conhecer o novo Largo da Baixa do Bonfim

salvador
05.10.2019, 20:08:17
Atualizado: 05.10.2019, 21:40:43
Obras de Requalificação do Largo da Baixa do Bonfim foram entregues na sexta-feira (04), pela Prefeitura de Salvador (Foto: Tiago caldas/ CORREIO)

Baianos aproveitam o final de semana para conhecer o novo Largo da Baixa do Bonfim

Obra de requalificação foi entregue na sexta-feira (04), pela Prefeitura de Salvador e integra o projeto de estímulo ao turismo religioso, com a Nova Colina Sagrada

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

“Menina, essa entrada pelo lado facilita tudo. Já encurta o caminho até a Colina Sagrada, sem a gente ter que subir a ladeira”, disse, animada, a aposentada Maria das Graças Costa, ao conferir como ficaram as obras de requalificação do Largo da Baixa do Bonfim. Moradora do bairro de Paripe, ela costuma vir à Basílica Santuário Senhor do Bonfim, pelo menos, uma vez por mês: “Eu gosto de vir ao Bonfim, me sinto muito bem aqui. Aproveitei e sentei aqui na pracinha enquanto meu neto brinca bem à vontade ali no parque”, completou Maria das Graças. 

Se os fiéis gostaram de como ficou o novo espaço que integra o entorno da Nova Colina Sagrada, as crianças também aprovaram o novo espaço que, além do parquinho, pista de skate, mesa para jogos e uma área grande de lazer, conta também com estacionamento público. O entorno da Basílica foi redesenhado da parte baixa até a integração aos arcos da ladeira do Bonfim.

Priscila levou a filha Lis para aproveitar o parquinho
(Foto: Priscila Natividade/ CORREIO)

“Moro bem aqui na frente e achei ótimo. E Lis gostou mais ainda. É muito bom ter esta opção de lazer aqui no bairro. Vou trazer minha filha sempre. É só as pessoas não quebrarem os equipamentos e ter segurança”, afirmou a professora Priscila Fontes, de 28 anos, enquanto a pequena Lis, de 3, curtia (e muito) a escorregadeira na tarde deste sábado, um dia após a entrega das obras de requalificação pela prefeitura de Salvador.

“A gente espera entregar toda essa intervenção no início de 2020, antes da Lavagem da Escadaria do Bonfim”, destacou o prefeito de Salvador ACM Neto, durante a cerimônia de inauguração. O Caminho da Fé tem 1,1 quilômetro de extensão e fica entre o Memorial Irmã Dulce e a Basílica do Senhor do Bonfim. O investimento na requalificação do trecho é na ordem de R$ 16,1 milhões. 

Junto com a irmã Maria Santos, a aposentada Joana Maria aproveitou o solzão que fez durante o dia de ontem para trazer as netas até a praça. Rolou até piquenique: “A gente gostou muito e espera que permaneça assim, bonito”, disse Joana. Para Maria, quem vai gostar também da nova Baixa do Bonfim são os turistas que visitam a Basílica: “É mais uma oportunidade de lazer também para os turistas, né? Quem vem conhecer a Colina Sagrada pode aproveitar e ficar aqui um pouquinho, conversando e vendo o movimento”.

As irmãs Joana e Maria levaram as netas para conhecer o novo Largo do Bonfim e teve até piquenique
(Foto: Priscila Natividade/ CORREIO) 


Turismo religioso

Pároco da Basílica do Bonfim, padre Edson Menezes reforçou a importância da requalificação da área, principalmente para melhorar a infraestrutura da igreja e acessibilidade dos fiéis. “A conclusão desta obra atende a uma grande necessidade da Basílica do Senhor do Bonfim enquanto santuário. Acolhimento também é dispor de uma estrutura de estacionamento e melhor acesso. O número de fiéis que visitam o Bonfim tende a crescer ainda mais. Isso faz com que os espaços da Basílica sejam multiplicados. Estamos muito contentes”, disse. 

A nova Baixa do Bonfim também animou os comerciantes que trabalham no local, como o proprietário da banca Lua Nova, Luís Brito. O seu negócio fica localizado bem no largo,  próximo ao ponto de ônibus. “A revitalização da praça é a melhor coisa para os moradores e turistas que frequentam o Bonfim. O local estava muito comprometido, as pessoas tinham medo de passar nessa parte de baixo porque a área estava degradada e marginalizada. E com isso todo mundo perdia. Tenho certeza que vai ajudar muito o comércio local, não só a minha banca, mas de todo mundo que trabalha aqui”, pontuou.  


 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas