Blecaute em Morro de São Paulo deixa turista sem banho e gera prejuízo no comércio

bahia
17.01.2020, 13:40:00
Atualizado: 17.01.2020, 13:59:41

Blecaute em Morro de São Paulo deixa turista sem banho e gera prejuízo no comércio

Balneário ficou 20 horas sem luz; concessionária cita 'defeito em equipamento'

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Divulgação

De férias em Morro de São Paulo, no Arquipélago de Tinharé, em Cairu, cidade da região do baixo sul da Bahia, o jequieense Joabe Souza, de 35 anos, além de descer de tirolesa na primeira praia e tirar fotos com peixes que ficam nas águas cristalinas da quarta praia teve de conviver com um problema recorrente no local: a falta de energia.

Foram quase 20 horas de interrupção no fornecimento (entre as 7h desta quinta-feira e as 2h desta sexta), o que gerou também prejuízos ao comércio de uma forma geral, sobretudo com a perda de produtos perecíveis e a queima de equipamentos eletrônicos, já que durante esta quinta a energia oscilava e com baixa voltagem.

Por conta de muitas pousadas e estabelecimentos comerciais utilizarem bombas em poços artesianos, turistas como Joabe ficaram sem ter como tomar banho ao retornarem da praia ao final da tarde. “Só tomei um banho rápido por volta das 14h, mas depois, quando voltamos, na madrugada, já não tinha água”, contou.

Durante o dia, o cenário que o jequieense relata ter visto era esse: boa parte do comércio fechado, sobretudo restaurantes, bares e sorveterias. “Quis tomar um sorvete e não consegui. Foi uma situação bem complicada do ponto de vista dos comerciantes, a reclamação foi geral”, disse.

Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Cairu, o empresário Christian Willy informou que os prejuízos ainda estão sendo contabilizados, mas ele estima que seja de mais de R$ 1 milhão. “Só de associados nossos são 150, entre pousadas, hotéis, restaurantes, bares, etc. Todo mundo teve algum tipo de prejuízo”, declarou.

Na pousada Xerife, na região central do Morro, a oscilação da energia provocou a queima de uma bomba de água, um computador e desregulou uma máquina de lavar, informou o proprietário Fabrício Matos Siqueira. “Mais um ano de Morro com os mesmos problemas de energia”, comentou.

“Uma colega perdeu duas bombas, três câmeras e um computador. Outro, uma tv e um ar-condicionado, todos com mesmo problema de sempre. Estou sem água na pousada e os hóspedes sem poder tomar banho”, afirmou Siqueira, na manhã desta sexta-feira.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Dono de uma agência de viagens na primeira praia e de uma loja de roupas no centro, o empresário William Wazlawik, 41, relatou que teve um dia perdido nesta quinta-feira. “Na agência, preciso de energia para tudo: agendar viagens, reservas, tirar os vouchers, e na loja sem não tem como o cliente ficar sem ar-condicionado”, disse.

Segundo moradores do Morro, a falta de energia foi causado por sobrecarga de um transformador, que estourou. Depois, ao longo do dia, foram sendo descobertos outros problemas na rede, durante tentativas de religação. Numa nota, a Coelba, concessionária do setor, declarou apenas que o problema foi causado “após defeito em um equipamento da rede”.

“Equipes da concessionária, que estão estrategicamente alocadas na região, atuaram ininterruptamente para a regularização do serviço. A Coelba reforça que tem investido em obras e serviços de melhoramento da rede para aumentar a confiabilidade do sistema elétrico do distrito”, informa o comunicado.

Para atuação neste verão, a concessionária, segundo informou, investiu mais de R$ 50 milhões em serviços de manutenção e melhorias da rede elétrica no litoral baiano, incluindo Morro de São Paulo.

“A região já tem projeto em andamento para a instalação da rede elétrica subterrânea, que cobrirá todo o trecho da Vila até o Mirante, passando também pela Fonte Grande. O objetivo deste projeto é solucionar as situações de nível de tensão e interrupção em transformadores em todo o trecho, que possui difícil acesso, devido às características geográficas da ilha”, declarou a Coelba.

A companhia não informou quando as obras serão iniciadas e finalizadas. Segundo moradores locais, as obras devem começar em março deste ano e serem finalizadas no início do ano que vem. Enquanto não for concluída a obra, moradores preveem mais problemas com a rede elétrica.

A prefeitura de Cairu, em nota, declarou que “visando a maior demanda durante a alta temporada, tem cobrado formalmente da Coelba investimentos na melhoria dos serviços de energia elétrica”.

“A gestão municipal informa que, segundo a Coelba, a concessionária está realizando investimentos para suportar a demanda. As medidas buscam manter a qualidade e eficiência do fornecimento de energia elétrica na região durante todo o ano”, afirma a nota.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas