Bom sinal? Últimos cinco técnicos do Vitória estrearam pontuando

e.c. vitória
29.04.2022, 16:46:00
Fabiano Soares é o terceiro técnico do Vitória em 2022 (Pietro Carpi/EC Vitória)

Bom sinal? Últimos cinco técnicos do Vitória estrearam pontuando

Desde Mazola Júnior, em 2020, todos os treinadores começaram trabalho no Leão com triunfo ou empate

O Vitória estreará seu terceiro técnico na temporada. Após as passagens de Dado Cavalcanti e Geninho, chega a era Fabiano Soares no rubro-negro, e o primeiro jogo será diante do Manaus, neste sábado (30), às 19h, no Barradão. Logo de cara, o comandante terá uma missão complicada: reabilitar o Leão na Série C.

O time perdeu os três primeiros duelos que disputou na competição, contra Remo (2x1), Floresta (1x0) e Ypiranga-RS (2x1). E, ainda sem pontuar, amarga a zona de rebaixamento, na 18ª posição. O momento ruim, porém, não parece preocupar Fabiano, que projetou: "Estou seguro que vamos começar a ganhar a partir de sábado".

Se depender do histórico recente, o cenário é até favorável. Todos os últimos cinco técnicos contratados pelo Vitória começaram suas respectivas trajetórias no clube pontuando. E duas dessas estreias foram ganhando - incluindo a de Geninho, assim como Ramon Menezes. Já Rodrigo Chagas (em sua passagem oficial), Wagner Lopes e Dado Cavalcanti empataram em seus primeiros jogos.

A última vez que um treinador estreou no Leão com um revés foi em dezembro de 2020, com Mazola Júnior. O primeiro jogo do comandante foi diante do Cruzeiro, no Barradão, pela Série B daquele ano, e o rubro-negro perdeu por 1x0, gol de Ramon. A era do técnico não durou muito: quatro partidas, com três derrotas e só uma vitória.

Estreias dos últimos cinco técnicos do Vitória:

  • Rodrigo Chagas*: Vitória 1x1 Operário-PR, no Barradão | 3 de janeiro de 2021 | 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2020
  • Ramon Menezes: Internacional 1x3 Vitória, no Beira-Rio | 10 de junho de 2021 | Jogo de volta da 3ª fase da Copa do Brasil 2021
  • Wagner Lopes: Vitória 1x1 CRB, no Barradão | 15 de agosto de 2021 | 18ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2021
  • Dado Cavalcanti: Vitória 1x1 Juazeirense, no Barradão | 16 de janeiro de 2022 | 1ª rodada do Campeonato Baiano 2022
  • Geninho: Vitória 2x0 Glória-RS, no Barradão | 23 de março de 2022 | 2ª fase da Copa do Brasil 2022

*Rodrigo Chagas comandou o Vitória durante quatro partidas em 2020, mas como interino.

2022: Geninho e Dado Cavalcanti

Geninho foi anunciado pelo Leão no dia 17 de março, e, pouco menos de uma semana depois, comandou o time no triunfo sobre o Glória-RS, por 2x0, no Barradão. Aquele confronto, aliás, foi com emoção. O placar foi construído somente nos minutos finais: aos 45 do segundo tempo, Jadson converteu pênalti e, aos 49, Luidy ampliou.

O resultado fez o Leão avançar na Copa do Brasil. Mas, coincidentemente, foi o jogo seguinte pelo mata-mata nacional que decretou a demissão de Geninho, após uma passagem relâmpago de 34 dias. O anúncio veio logo depois da derrota por 3x0 para o Fortaleza, na Arena Castelão, pela partida de ida da terceira fase da competição.

Antes de Geninho, o ano de 2022 do Vitória começou com Dado Cavalcanti. O primeiro compromisso do clube foi diante da Juazeirense, no Barradão, pelo Campeonato Baiano. O duelo terminou em empate em 1x1: Patrik abriu o placar para os visitantes, e Guilherme Queiroz deixou tudo igual.

A expectativa era que o elenco mostrasse entrosamento com o andar da temporada, e o time começasse a mostrar bons resultados. Mas o Leão acabou eliminado de forma precoce no Baianão. E, sem conseguir a classificação para as semis do estadual, o pernambucano foi demitido, e Geninho contratado. Até também ser dispensado, após apenas quatro compromissos.

2021: Rodrigo Chagas, Ramon Menezes e Wagner Lopes

Assim como em 2022 - ao menos, até agora -, o Vitória teve três técnicos em 2021. Rodrigo Chagas foi o responsável por começar o ano na Toca do Leão, mas pela temporada 2020 - que terminou de forma tardia por causa da pandemia da covid-19.

O ex-lateral direito já havia sido o treinador interino do Leão ao longo de quatro jogos, mas cedeu o comando para Mazola Júnior. Quando o paulista foi demitido, Rodrigo foi efetivado. O primeiro jogo oficialmente como técnico do Vitória foi diante do Operário-PR, com empate em 1x1 em casa. Vico, de falta, e Ricardo Bueno, de cabeça, marcaram os gols, ainda aos seis minutos da partida.

Rodrigo terminou a temporada 2020 cumprindo a principal missão, que era manter o Vitória na Série B seguinte. Por isso, seguiu no cargo para o ano seguinte.

Em 2021, o técnico avançou com a equipe até as semifinais da Copa do Nordeste, mas foi eliminado da primeira fase do Campeonato Baiano. Acabou demitido do cargo em junho, depois de uma derrota para o Náutico, em casa, pela segunda rodada da Série B.

Em seguida, veio outro ídolo, Ramon Menezes. E a estreia foi com qualidade: virada histórica sobre o Internacional, no Beira-Rio, pela Copa do Brasil. O Vitória havia perdido o primeiro jogo, no Barradão, por 1x0, mas conseguiu bater o Colorado no Rio Grande do Sul por 3x1, eliminando o rival e avançando às oitavas de final.

Naquele duelo, o rubro-negro fez uma etapa inicial ruim, mas a escrita mudou quando Pedro Henrique, pelo time gaúcho, foi expulso no início do segundo tempo - Boschilia também receberia o vermelho no fim. Samuel abriu o placar, o Inter chegou a empatar com Johnny, mas Eduardo e Guilherme Santos garantiram a vaga para o Leão.

A sequência de trabalho de Ramon, porém, não foi do mesmo jeito. O técnico só venceu mais duas partidas e deixou o cargo em agosto, com 31% de aproveitamento. Era a vez de chegar Wagner Lopes. E, com apenas dois dias de treinos, ele estreou diante do CRB, então vice-líder da Série B, e empatou em 1x1 no Barradão.

A equipe rubro-negra até apresentou bom futebol naquele encontro, mas, após uma falha no setor defensivo, viu Jajá cruzar e Júnior Brandão abrir o placar para os visitantes no primeiro tempo. O Leão voltou do intervalo mais ofensivo, e Marcinho garantiu o empate. Só que, no fim, o uruguaio Pablo Siles foi expulso, e o resultado estacionou no 1x1.

Ao fim da Série B - e sem conseguir livrar o time do rebaixamento à Terceira Divisão -, o contrato de Wagner Lopes chegou ao fim, e ele se despediu da Toca do Leão.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas