Bombeiros encerram buscas a vítimas de naufrágio com mortos na Bahia

bahia
04.07.2020, 18:26:44
Atualizado: 05.07.2020, 08:49:31

Bombeiros encerram buscas a vítimas de naufrágio com mortos na Bahia

Corpos de três vítimas, duas crianças e uma adolescente, foram encontrados neste sábado (4)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Corpo de Bombeiros encerrou, no início da noite deste sábado (4), as buscas por duas das cinco vítimas do naufrágio que ficaram desaparecidas após um passeio de barco no Rio Paraguaçu. O trabalho de resgate será retomado neste domingo (5). Os corpos de três vítimas, duas crianças e uma adolescente, foram encontrados ao longo deste sábado (4).

A primeira vítima a ser encontrada foi Anatália. A adolescente de 14 anos foi encontrada pelo próprio irmão, que ajudava nas buscas, no início desta manhã. Logo em seguida, foi encontrado o corpo de Adriele Pereira. No fim da manhã, o corpo de outra criança foi localizado pelos Bombeiros - segundo a família, trata-se de Luis Felipe Pereira, que também estava na embarcação.

“Estou aqui morta, arrasada”. O desabafo é da aposentada Anatália Mota dos Santos, 81 anos, bisavó das três crianças e avó da adolescente que estavam no barco. Por telefone, ao CORREIO, dona Anatália disse estar um pouco aliviada pelos corpos terem sido encontrados. Porém, ela afirmou que não tem mais esperanças de encontrar as outras duas pessoas desaparecidas - Cauã Pereira, 11, e um adulto - com vida. 

“Como que vai achar mais alguém com vida? De ontem para cá foi que eu caí na real que não vão achar mais ninguém com vida. E não acharam mesmo”, disse, na tarde de sábado. 

Quatro crianças estavam na embarcação (Foto: Acervo pessoal)

O que se sabe
Até o momento, nenhuma das vítimas foi oficialmente identificada pelos bombeiros. No momento do acidente, na quinta-feira (2), seis pessoas estavam a bordo de um barco. Apenas uma pessoa foi resgatada com vida até agora - o pescador Paulo Roberto, que é avô de três das crianças que estavam na embarcação e pai da quarta. 

A sexta pessoa que estava no barco é um adulto, um amigo da família. Identificado como Roque, ele teria cerca de 50 anos, segundo relatos de familiares.

Em nota, a  Capitania dos Portos da Bahia (CPBA) informou que os dois primeiros corpos foram encontrados boiando às margens do rio, nas proximidades da Fazenda Haras do Belo Vale. As buscas continuam e estão sendo realizadas pelas equipes da Marinha do Brasil, das equipes do 13º Grupamento Marítimo de Bombeiros Militar (GMAR) e de familiares e pescadores locais voluntários.

Buscas
As buscas foram iniciadas no mesmo dia do acidente e alguns pertences das crianças foram encontrados na água, como sapatos e um boné. A procura pelos desaparecidos foi retomada por volta das 7h30 desta sexta-feira. As famílias dos desaparecidos se misturaram aos pescadores para auxiliar os bombeiros. A procura por sobreviventes é realizada com barcos, motos aquáticas, canoas e lanchas.

"Vamos continuar até encontrarmos eles. Foi solicitado um reforço com Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer)", declarou o tenente do CB Eli Antônio Lima. 

Bombeiros fazem buscas na região (Foto: Divulgação)

Segundo moradores da região, em alguns pontos do rio a profundidade chegam a 150 metros. “No local onde ocorreu o acidente, antes era um vilarejo que foi encoberto para a instalação de uma barragem”, contou Aloisio de Jesus, amigo da família. 

Ele contou que é comum o registro de acidentes no rio e que dificilmente há sobreviventes. “Normalmente os corpos são encontrados em locais diante do ponto do naufrágio ou ficam presos embaixo das baronesas”, relatou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas