Borel faz gol e é expulso, mas Bahia vence o Náutico e segue líder da Série B

e.c. bahia
15.04.2022, 23:26:00
Borel comemora gol sobre o Náutico. No mesmo lance ele foi expulso por tirar a camisa (Foto: Bruno Queiroz/EC Bahia)

Borel faz gol e é expulso, mas Bahia vence o Náutico e segue líder da Série B

Tricolor mantém 100% de aproveitamento no Campeonato Brasileiro

Na noite em que conquistou o seu primeiro triunfo fora de casa na Série B ao vencer o Náutico, nesta sexta-feira (15), por 1x0, no estádio dos Aflitos, o Bahia teve o garoto Douglas Borel como grande personagem do duelo. Foi dele o gol que garantiu os três pontos, mas na comemoração do seu primeiro como profissional, o lateral recebeu o segundo cartão amarelo, foi expulso com apenas 12 minutos e deixou o time com um homem a menos. 

Apesar da inferioridade numérica na maior parte do jogo, o Bahia conseguiu se segurar no Recife. Os seis pontos somados garantem ao tricolor a liderança após duas rodadas. 

O Esquadrão agora vai mudar o foco para a Copa do Brasil. Já na terça-feira (19), encara o Azuriz-PR, na Fonte Nova, pelo jogo de ida da terceira fase da competição. O próximo jogo pela Série B será na sexta, contra o CSA, em Maceió.

DO CÉU AO INFERNO
Sem os atacantes Rodallega e Matheus Davó, ambos machucados, o técnico Guto Ferreira apostou em um ataque com mais mobilidade e escalou Vitor Jacaré ao lado de Raí e Marco Antônio. 

Apoiado pela torcida, o Náutico tentou assustar o goleiro Danilo Fernandes em chute de Júnior Tavares que foi para fora. Diante da dificuldade do tricolor para segurar a bola no meio-campo, o Timbu esboçava uma pressão que não teve nem tempo de se sustentar.

Isso porque aos 12 minutos saiu o gol do Bahia. Quando conseguiu encaixar contra-ataque, Marco Antônio descolou ótimo passe para Douglas Borel. O lateral direito soltou a bomba na saída do goleiro Lucas Perri e fez 1x0. 

Apesar da vantagem no placar, o Esquadrão ficou em inferioridade numérica, já que na comemoração, Borel tirou a camisa. Como já tinha cartão amarelo, ele levou o segundo e foi expulso. A atitude fez Guto Ferreira tirar o meia Daniel e colocar Jonathan em campo para ajustar o sistema tático.

Com um jogador a mais, o Náutico se lançou ao ataque e passou a pressionar mais. O tricolor então adotou a estratégia de se defender e aproveitar o erro pernambucano para sair em contra-ataque. Aos 22 minutos, Jacaré disparou em velocidade e, mesmo disputando com o marcador, conseguiu finalizar. Lucas Perri defendeu.

Aos 41 minutos, o Náutico quase chegou ao empate quando Ewandro recebeu livre o cruzamento na pequena área, mas errou a finalização. A resposta do Bahia veio com a bola na rede em chute de Marco Antônio, aos 48 minutos, mas a arbitragem marcou impedimento. O jogador estava em posição legal.

TRIUNFO GARANTIDO 
O Bahia voltou do intervalo com o mesmo time e o panorama da partida seguiu bem parecido com o da primeira etapa, com o Náutico presente no campo de ataque e o Esquadrão buscando o contra-ataque.  

Isolado no ataque, Vitor Jacaré ficou encaixotado entre os marcadores e com muita dificuldade para desenvolver as jogadas. A partir dos 18 minutos, o jogo saiu do controle da arbitragem com muita discussão entre os jogadores dos dois times. O juiz precisou aplicar cartões para contornar a situação. Guto Ferreira aproveitou a parada e colocou Ronaldo e Emerson Santos na partida. 

A partir dos 27 minutos os dois times voltaram a ficar com o mesmo número de atletas quando Djavan fez falta dura em Emerson Santos, recebeu o cartão vermelho direto e foi expulso. Mas foi o Náutico quem quase chegou ao empate. A falta cobrada por Jean Carlos tinha endereço certo, e Danilo Fernandes se esticou e salvou.  

No duelo aberto, o Bahia tentou responder na jogada em velocidade construída por Raí, só que Rildo pegou mal na bola e o chute de fora da área passou longe do gol. A partida teve emoção até o último minuto. Em nova cobrança de falta, Jean Carlos voltou a exigir boa defesa de Danilo Fernandes. 

FICHA TÉCNICA

Náutico 0x1 Bahia - Série B (2ª rodada)

Náutico: Lucas Perri, Hereda, Bruno Bispo, Camutanga e Júnior Tavares; Djavan, Rhaldney (Ralph), Eduardo (Pedro Vitor) e Jean Carlos; Evandro (Leandro Carvalho) e Kieza (Léo Passos). Técnico: Dudu Capixaba (interino)

Bahia: Danilo Fernandes; Borel, Ignácio, Luiz Otávio e Luiz Henrique; Patrick (Ronaldo), Rezende e Daniel (Jonathan, depois Didi); Raí, Vitor Jacaré (Emerson Santos) e Marco Antônio (Rildo). Técnico: Guto Ferreira

Estádio: Aflitos (Recife)
Gol: Douglas Borel, aos 12 minutos do 1º tempo
Cartão amarelo: Hereda, Pedro Vitor, Kieza (Náutico); Daniel, Rezende, Alexandre Faganello (Bahia)
Cartão vermelho: Douglas Borel (Bahia); Djavan (Náutico)
Arbitragem: Rodrigo Batista Raposo, auxiliado por Lucas Costa Modesto e Leila Naiara Moreira da Cruz (trio do Distrito Federal)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas