Bruno e Dom não serão esquecidos

entrelinhas
18.06.2022, 16:00:00

Bruno e Dom não serão esquecidos

Notícias que marcaram a semana

Um crime bárbaro, com crueldade, frieza e, sobretudo, crença na impunidade. Na última quarta-feira (15), o pescador Amarildo da Costa Oliveira, o ‘Pelado’, confessou o envolvimento dele e do irmão Oseney da Costa Oliveira, o ‘Dos Santos’, na morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, que estavam desaparecidos desde o dia 5 no Vala do Javari, no Amazonas.

‘Pelado’ levou os policiais federais no local onde enterrou os restos mortais da dupla, que fora assassinada, esquartejada e incinerada antes de ser enterrada a cerca de 3,1km do local onde objetos de Bruno e Dom foram encontrados no domingo (12). O pescador estava preso desde o dia 7, quando munição de uso restrito e permitido foi encontrada na casa dele. Oseney foi preso na terça-feira (14). 

De acordo com o g1, a motivação do crime ainda é incerta, mas a polícia apura se há relação com a atividade de pesca ilegal e tráfico de drogas na região. Segunda maior terra indígena do país, o Vale do Javari é palco de conflitos típicos da Amazônia: desmatamento e avanço do garimpo.

A região está abandonada pelo estado brasileiro. Bruno havia sido coordenador-geral de Índios Isolados e de Recente Contato da Funai (Fundação Nacional do Índio), mas foi exonerado pouco depois de comandar uma operação que destruiu equipamentos e barcas de garimpeiros ilegais. Sem ter permissão para exercer sua função, pediu licença da Funai e passou a trabalhar por conta própria com os indígenas. Era frequentemente ameaçado por denunciar as ilegalidades no Vale do javari. Enquanto isso, as autoridades se fingiam de cegas.

Dom havia ido para lá para realizar entrevistas com lideranças indígenas e ribeirinhos para um novo livro, chamado "Como salvar a Amazônia?".

Quem queria proteger e registrar os crimes na Amazônia foi morto. Quem comete ilegalidades parece ter proteção de quem deveria fiscalizar e combater a criminalidade. A coragem de Dom e Bruno não podem ser em vão.

Festejos juninos em alerta por conta do aumento nos casos de covid-19
A semana é de muita festa no interior da Bahia, sobretudo, mas o aumento nos casos de covid no mês de junho é para deixar todo mundo alerta e com cuidados redobrados. A estimativa de especialistas é que o São João colabore para um novo surto da doença. Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) divulgado na última segunda-feira (13), houve um aumento de 198% no número de contaminações em território baiano na primeira quinzena de junho.

Frederico Pasche, doutor em Saúde Coletiva, alerta que a aglomeração e contato entre indivíduos de regiões diferentes devem resultar em um surto ainda maior de 21 a 28 dias após as festas juninas. Além da contaminação, a previsão é o pressionamento do sistema de saúde. 

Por conta desse aumento, a prefeitura de Serra Dourada, no oeste da Bahia, publicou decreto no sábado (11) implementando toque de recolher por 30 dias e proibindo a realização de festejos juninos no município, sejam públicos ou particulares. 

Câmara aprova fixação de teto para ICMS
A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (15) o projeto de lei que fixa o teto de 17% para o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre energia elétrica, combustíveis, telecomunicações e transporte coletivo. A expectativa dos governistas é que a medida faça diminuir o valor da gasolina e do diesel em todo país. 

Casa de Ogum é tombada
Os filhos e filhas de santo do terreiro Okutá de Ògún, a Casa de Ogum, no Candeal, vestiram as melhores roupas e prepararam o templo para uma cerimônia especial, na última segunda-feira (13). Com cerca de 200 anos de história, o terreiro foi tombado como patrimônio histórico de Salvador, pela Prefeitura, por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM).

Gil no Google
O cantor, compositor e imortal da Academia Brasileira de Letras Gilberto Gil é o primeiro artista brasileiro vivo a receber uma homenagem do Google Arts & Culture, em parceria com o Instituto Gilberto Gil. A plataforma lançou, na terça (14), a mostra digital O Ritmo de Gil, disponível em português, inglês e espanhol. O acervo apresenta mais de 41 mil imagens e 900 vídeos e gravações históricas digitalizadas do baiano, entre elas um álbum inédito de 1982, gravado em Nova York. Toda a obra de Gil, incluindo as inéditas, podem ser ouvidas na plataforma.

"Eu espero que a coleção seja bem recebida por todos. Espero que também se possa partir dela para desenvolver atividades relativas ao meu trabalho. São mais de 50 anos de produção relativa à música, à composição, gravações, registros variados. Essa coleção vai abranger todo o campo de manifestação de Gilberto Gil, em todos os sentidos. É uma espécie de museu, um apanhado de todas as coisas que fizemos, as linguagens desenvolvidas", disse Gil.

Bombou no site do CORREIO (mais lidas da semana)

1 - Nos EUA, pais pedem demissão de professora: 'Seu corpo distrai os alunos'  - A escola nem mesmo considerou atender aos pedidos de alguns dos pais.  

2 - Ratanabá: entenda o boato sobre a cidade perdida na Amazônia - A história falsa vem atraindo atenção de internautas.  
 
3 - Primeiro caso de varíola dos macacos no Brasil é confirmado em São Paulo - Até sexta-feira (17), eram sete casos confirmados no país.  

4 - Casal destrói clínica por acreditar que está sendo rastreado por chip de dentistas - O caso surreal aconteceu em Belo Horizonte.  

5 - Por alta de casos de covid-19, cidade na Bahia decreta toque de recolher - Medida em Serra Dourada vale por 30 dias.  

'Ele [Jesus] não comprou pistola porque não tinha naquela época' Jair Bolsonaro Presidente da República, em declaração durante conversa com religiosos, na quarta-feira (15), no Palácio da Alvorada

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas