Caminho da Fé começa a ser construído em junho no Largo de Roma

salvador
16.05.2019, 05:30:00
Atualizado: 16.05.2019, 10:22:11
Como o Caminho da Fé vai ficar após a reforma (Foto: Divulgação/ FMLF)

Caminho da Fé começa a ser construído em junho no Largo de Roma

Obra vai durar 10 meses e terá 14 totens contando as histórias de Irmã Dulce e do Senhor do Bonfim

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A notícia da canonização de Irmã Dulce deixou os católicos em êxtase e os diversos setores da igreja, da esfera pública e da inciativa privada estimam que a quantidade de pessoas que visitam o santuário, no bairro de Roma, na Cidade Baixa, vai aumentar. Desde 2017, a prefeitura vinha falando na construção de um Caminho da Fé ligando o local à Basílica do Senhor do Bonfim. Agora, a construção terá início em junho deste ano.

Segundo a presidente da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), Tânia Scofield, responsável pelo projeto, o percurso vai começar no Largo de Roma e seguir até o Bonfim, em um trajeto de 1,1 km. O tempo de caminhada é o mesmo para rezar um terço. Tânia afirmou que o início da obra não tem relação com a canonização, mas que a data veio a calhar.

“Discutimos durante muito tempo o projeto com Maria Rita (superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce) e existia uma expectativa de que, até 2020, Irmã Dulce fosse canonizada. Não imaginávamos que isso seria antecipado, mas que ótimo que foi antecipado. Pode ser que o Caminho da Fé não fique totalmente pronto até a canonização, mas estará pronto depois e as pessoas vão pode aproveitar do mesmo jeito”, afirmou.

Na prática, será feito primeiro uma obra de macrodrenagem para acabar com os alagamentos que acontecem naquela região. Uma das calçadas será alargada e terá 5 metros. O piso será marcado em granito, como um caminho, e 14 totens que representam a Via Crúcis vão contar também a história de Irmã Dulce e de Senhor do Bonfim.

Totens vão contar a história de Irmã Dulce (Foto: Divulgação FMLF)

Serão instalados bancos em cada uma das 14 paradas para que sirvam também de ponto de descanso. As árvores da Avenida Dendezeiros, por onde o Caminho da Fé vai passar, também serão restauradas. A Fundação prometeu acessibilidade durante todo o trajeto e disse que a obra deve durar cerca de 10 meses.

O projeto estava aguardando aprovação de recurso do Ministério do Turismo e está orçado em R$ 17,6 milhões. O aviso de licitação para selecionar a empresa que vai executar a obra foi divulgado na semana passada e o critério de escolha será o menor preço. O resultado será informado no dia 7 de junho.

O Edital e os anexos estão à disposição dos interessados nos sites www.sucop.salvador.ba.gov.br (modulo licitações) ou www.compras.salvador.ba.gov.br. É possível também ter acesso ao material presencialmente, na sala da COPEL, na Av. Presidente Costa e Silva, s/nº, Dique do Tororó, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Nesse caso é preciso apresentar CD-R virgem ou pen drive). Mais informações: (71) 3202-4339/ ou e-mail:copel.sucop@hotmail.com.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas