Casa de modelos gêmeas é inundada após chuvas em Salvador

salvador
14.04.2021, 14:32:00
Atualizado: 14.04.2021, 14:51:00
(Arquivo Pessoal e Marina Silva/CORREIO)

Casa de modelos gêmeas é inundada após chuvas em Salvador

Mãe afirma que até brinquedos de Verena e Valentina foram levados pela enxurrada

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A casa da técnica em metalurgia Sandra Weydee, mãe das modelos mirins Verena e Valentina, acabou entrando na estatística como uma das residências atingidas gravemente pelas fortes chuvas em Salvador no último fim de semana. Localizado nas proximidades da BA-526, em Ilha de São João, divisa entre a capital baiana e o município de Simões Filho, o imóvel foi totalmente tomado pela água, acarretando em imenso prejuízo à família. 

Chuvas fortes atingiram Salvador na última semana, com os picos mais preocupantes nas últimas quinta-feira (8) e sexta (9). Até o fim de semana, foram 1.605 ocorrências registradas pela Defesa Civil (Codesal) - os mais recorrentes foram deslizamentos de terra, alagamento de imóveis e áreas infiltradas. Por força do temporal, as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme do órgão foram acionadas em oito localidades do município.

Segundo a prefeitura, as demandas refletem a intensidade das chuvas que caíram na cidade nos últimos dias. De acordo com dados apresentados pelo Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec), nas últimas 72 horas houve um acumulado expressivo de chuvas em cinco pontos da cidade: Base Naval de Aratu, Mirante de Periperi, Praia Grande, São Tomé de Paripe e Periperi. 

“Isso aconteceu na quinta-feira, pela manhã, e na madrugada de sexta para sábado. Foi muita chuva, minha casa apesar ter sido um dos maiores estragos, não foi a única atingida. Não temos como impedir que a água entre, ela vai e volta pelos ralos. Aqui não tem saneamento básico, e a infraestrutura da rua não permite que a água passe livremente. Esse ano a gente se surpreendeu, pois até casas que geralmente não ficavam alagadas foram tomadas pela água”, conta a mãe das modelos à reportagem do CORREIO.

“Eu fiz vários batentes aqui na minha casa, mas não adiantou nada, a água ultrapassou mais que o dobro da altura. Perdi um rack grande, bom, tive que jogar fora. Perdemos o sofá também. Um colchão de casal também foi tomado pela água, só não joguei fora ainda porque é muito pesado. Também perdemos uma cama box de solteiro, minha cama de casal, que era boa, o guarda roupa. Conseguimos salvar o que colocamos em cima de outros móveis, como a geladeira. A água levou também roupa de banho, roupa de cama, vestimentas, até os brinquedos”, afirma Sandra.

As gêmeas Verena e Valentina. (Foto: Marina Silva/CORREIO)

A mãe de Verena e Valentina relata que já estava passando por dificuldades antes do acontecido, inclusive afetando a alimentação da família, e ressalta que é muito triste acontecer uma situação dessas após muito trabalho para construir a casa, especialmente após passarem cerca de 14 anos pagando aluguel. Ela também conta que as meninas — de apenas quatro anos — ficaram na quinta-feira (8) o dia todo em cima da cama, esperando o nível da água dentro do imóvel baixar.

As gêmeas conquistaram Salvador após um triste caso de racismo ocorrido no metrô de Salvador, em 2019. No mesmo ano, a duplinha participou de uma convenção de modelos e foi aprovada pelas cinco agências que trabalhavam com crianças. Sandra batalhou até conseguir que a inscrição de uma delas na convenção saísse de graça. O pai passou três dias trabalhando como segurança no evento para garantir a inscrição da outra. Depois de finalmente inscritas e aprovadas, a mãe propôs dividir os lucros meio a maio com uma agência caso aparecesse trabalhos. Hoje, elas possuem mais de três mil seguidores no Instagram, e inclusive foram protagonistas de um ensaio no CORREIO em fevereiro de 2020.

Por conta da situação, Sandra está aceitando doações e ajudas para conseguir restabelecer os prejuízos sofridos por conta da chuva em Salvador. Para saber como ajudar, basta entrar em contato através do número (71) 98603-8221 ou através do perfil @asgemeasblack, no Instagram.

*Com orientação da subeditora Carol Neves

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas