César Menotti diz que não ficou chateado com 'corte' da Dança dos Famosos

em alta
02.09.2020, 17:47:00
Atualizado: 02.09.2020, 18:41:40
(Reprodução/Instagram)

César Menotti diz que não ficou chateado com 'corte' da Dança dos Famosos

Vítima de gordofobia, artista faz piadas autodepreciativas com o próprio corpo como forma de defesa; militante e especialista explicam

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O cantor sertanejo César Menotti, 38 anos, estava confirmado no elenco da Dança dos Famosos, atração do Domingão do Faustão. O cantor já tinha participado de todas as etapas, tinha alugado apartamento em São Paulo e desmarcado compromissos futuros, mas acabou sendo cortado da atração antes mesmo de fazer o exame para covid-19, por conta do peso.

Durante o programa Tô na Pan desta quarta-feira (2), ele confirmou o caso. “Minha assessora me informou que eu não estaria mais por causa da obesidade. Mas quero deixar claro que isso não me chateou em nada. Estou super de boa. Só ri da situação: será que ninguém viu, desde o começo, quando me convidaram, que eu era gordo?”, questionou. Nas redes sociais, militantes e ativistas ressaltaram que isso é gordofobia - afinal, o peso de uma pessoa não interfere que ela faça exercícios físicos. Outros citaram que o vencedor da última edição do programa, Léo Jaime, era gordo e foi super bem.

A atriz e humorista Fabiana Karla, por exemplo, comentou sobre o assunto: “Eu queria entender [o corte de César], participei da primeira edição e amei”.

Humor depreciativo
Mesmo sendo vítima de gordofobia diariamente, o cantor recorre ao 'humor autodepreciativo' relacionado ao seu peso frequentemente nas redes sociais. César viu o número de seguidores do Instagram e do Twitter aumentar bastante nesta quarentena devido aos posts gordofóbicos, que muitas vezes fazem 'brincadeiras' com o próprio corpo.

"Transformar a opressão em piada é uma estratégia de muitas pessoas gordas para tentar lidar com a gordofobia. O que elas não se dão conta é que estão reforçando um dos estereótipos mais atrelados a elas, que é o da pessoa gorda engraçada", explica a pesquisadora do corpo gordo, doutora em Comunicação, Agnes Arruda. "É como se a pessoa não pudesse existir por si só, ela precisa compensar de alguma forma, e compensa com o humor".

Em um deles, ele está fazendo exercícios na academia e aparecem imagens de comidas, pois ele alega que malha para comer. Em outro, ele se compara a um hipopótamo. Tem um em que ele diz que tudo que precisamos é de uma coxinha que não engorda, enquanto a Nasa quer saber se tem vida em Marte.

Para a pesquisadora Agnes, as comparações com bichos e afins, que faz o cantor, estão longe de serem empoderadoras. "Elas na verdade desumanizam o cantor, que não consegue sair da pauta do peso e seguir com a própria vida, sempre volta a ela em forma de graça, de palhaçada, para que outros possam rir de seu corpo sem deixar de criticar seus hábitos e sua forma, que não dizem respeito a mais ninguém", pontua.

O militante e criador de conteúdo Dave Avigdor completa dizendo que, mesmo que o cantor não se sinta incomodado com seu corpo e se utilize do humor para se defender, outras pessoas podem sofrer com suas postagens. “O limite do humor é quando atingimos a existência de outra pessoa. A partir desse momento, não é mais humor. Ele pode estar achando que está “fazendo graça” de seu próprio corpo e por isso, não está atingindo ninguém. Mas o corpo gordo já é alvo de preconceito e piada constantemente. Uma piadinha que muitas vezes parece inofensiva é capaz de criar um estigma tão grande acima de uma característica que uma pessoa gorda chega a ser vista por um estereótipo antes mesmo de percebida como uma pessoa. E não dá mais, né?”, completou ele, que também é fotógrafo e publicitário.

Procurada, a assessoria de comunicação da Globo ainda não se posicionou sobre o corte de Menotti. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas