Chagas admite que falta de entrosamento atrapalhou o Vitória

e.c. vitória
17.03.2021, 22:14:00
Atualizado: 17.03.2021, 22:53:49
Zagueiro Mateus Moraes foi uma das sete novidade do Vitória no clássico estadual (Felipe Oliveira / ECBAHIA)

Chagas admite que falta de entrosamento atrapalhou o Vitória

Técnico elogiou postura defensiva do Bahia no clássico do estadual

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Vitória entrou em campo no Ba-Vi do Campeonato Baiano com uma escalação bem diferente daquela que iniciou e venceu o clássico da Copa do Nordeste, por 1x0, no último sábado (13). Para o duelo desta quarta-feira (17), em Pituaçu, o técnico Rodrigo Chagas fez sete mudanças. Entre as novidades, o lateral esquerdo Roberto e o atacante Walter, que estrearam com a camisa vermelha e preta. 

O Vitória não apresentou a mesma desenvoltura do final de semana e, após o apito final, Rodrigo Chagas admitiu que a falta de entrosamento comprometeu a performance do time no empate sem gols pelo estadual.  


"Tivemos muita dificuldade, até porque alguns atletas estão começando a entender a nossa ideia de jogo, então muitas vezes, taticamente, a gente ficou um pouco perdido, tanto na parte ofensiva como defensiva, mas aos poucos a gente vai colocando aquilo que nós entendemos e fazendo com que eles coloquem nos jogos", afirmou o comandante do Vitória.

"Nós fizemos um bom jogo, equilibrado, a garotada bastante participativa do Bahia, causando bastante dificuldade, e acho que a questão do entrosamento foi fundamental nesse jogo", completou o técnico, que voltou a elogiar a postura defensiva do adversário. Na avaliação de Chagas, a intensidade de marcação do time de transição do Bahia, treinado por Cláudio Prates e que representa o tricolor no estadual, dificultou a criação de jogadas do Vitória.

"A equipe de transição é de jovens. A intensidade que a gente sabia que iria existir nós tivemos, principalmente no poder de marcação e isso diminuiu as nossas oportunidades de gol. Acredito que o Bahia teve ótimo comportamento defensivo. A proposta deles foi bem interessante que o Cláudinho (Prates) colocou na prática. Sabíamos que teríamos dificuldade, mas nós não fizemos aquela partida que eu gostaria de ter feito, até porque tivemos muitas mudanças então não tem como a gente cobrar questão de intensidade de alguns atletas que estavam fazendo a primeira partida", pontuou.

O Vitória volta a campo no sábado (20), às 18h15, quando visita o Sampaio Corrêa, no estádio Castelão, em São Luís, no Maranhão, pela Copa do Nordeste.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Rodrigo Chagas após o Ba-Vi do Campeonato Baiano:

Faltou tranquilidade ao time durante o jogo?
"Acho que faltou uma tranquilidade maior. A gente achou a bola do jogo nos primeiros minutos com o (Ygor) Catatau, mas o garoto conseguiu chegar na bola no momento da batida. Tivemos momentos cruciais que poderíamos ter matado o jogo, mas faltou realmente hoje um pouquinho de tranquilidade, paciência, para termos o controle do jogo, para fazermos essa bola circular e em alguns momentos fomos preciptados, aceleramos o jogo quando não deveríamos, mas são situações do jogo que a gente vai corrigir".

O que achou das atuações de Walter, Roberto e Alisson Farias?
"Foram atuações ainda tímidas, até por terem muito tempo sem jogar. Primeiro jogo trabalhando conosco, com as nossas ideias. A gente sabe que eles podem ser muito mais do que isso e jogo a jogo a gente vai colocando as ideias para que eles possam estar evoluindo junto conosco".

Por que o zagueiro Marcelo Alves não foi titular?
"É um jogador que tem uma semana e meia no elenco. Vem trabalhando e muito bem. É um jogador que tem liderança nata muito positiva. Tivemos a manutenção do João Victor e dei uma oportunidade ao Mateus (Moraes), que estava há muito tempo precisando jogar e a gente precisava ver também esse atleta. Agora é trabalhar apra ver o momento exato para usar o Marcelo".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas