Confira as opções de Geninho para montar o meio-campo do Vitória

e.c. vitória
10.10.2019, 05:56:00
Geninho tem poucas opções e pode ter que improvisar (Letícia Martins / EC Vitória)

Confira as opções de Geninho para montar o meio-campo do Vitória

Técnico não contará com o seu trio de criação contra o Cuiabá

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Vitória tem nesta sexta-feira (11), diante do Cuiabá, um jogo de suma importância para manter-se fora da zona de rebaixamento da Série B. O problema é que o técnico Geninho terá que lidar com uma lista extensa de desfalques.

Com um detalhe: a maioria das baixas concentra-se num dos setores mais importantes para a equipe, o de criação. O treinador perdeu todo o ‘tridente’ que municiou o centroavante Jordy Caicedo no duelo contra o Oeste.

O camisa 10 Felipe Gedoz foi diagnosticado com uma torção no tornozelo direito e está vetado. Ele havia sido substituído no intervalo da última partida por conta das dores. Geninho já sabia que não contaria com os pontas Wesley e Felipe Garcia, suspensos pelo terceiro cartão amarelo.

A lista de baixas segue com o volante Rodrigo Andrade, com um trauma no pé direito, e o lateral esquerdo Capa e o meia Ruy, ambos com lesão muscular numa das coxas.

E agora?
Quem vai formar o setor de criação diante do Cuiabá? Mesmo que opte pelo esquema de três volantes para cobrir a ausência de Gedoz, o treinador não terá Rodrigo Andrade, quem melhor atuou nessa função. Seria Romisson, que estreou diante do Oeste.

Romisson foi elogiado pelo chefe: “Aproveitou muito bem. Entrou, fechou espaço, jogou. É um atleta de técnica, mais franzino, mas é jogador de técnica apurada. Com ele marcando, liberamos Lucas Cândido para entrar na área”.

Para uma das pontas, o provável substituto é Eron, que entrou na segunda etapa no lugar de Felipe Garcia e também foi elogiado. “Mesmo caso do Eron, que jogou pouco, mas foi bem. Não deixou lateral descer, apertou no terceiro gol, teve participação fundamental. Isso deixa o treinador contente”, disse Geninho.

O problema surge na outra ponta. A opção mais óbvia seria puxar Jordy Caicedo e colocar Anselmo Ramon, que volta de suspensão, como centroavante. Porém, o equatoriano só desencantou com dois gols justamente atuando como camisa 9.

“Ele teve presença de área, demonstrou que pode jogar por ali. Não é aquele jogador técnico, que prende, faz parede, ele tem dificuldade nisso. É um jogador forte, que incomoda a zaga. Ele perde a velocidade. Vamos ver, tentar utilizar”, analisou o técnico.

No elenco Geninho ainda conta com Chiquinho para atuar como ponta, além de garotos do sub-23 como Thiaguinho, Ítalo e Luan Gabriel. Se quiser manter um meia no lugar de Gedoz, a única opção é Nickson, que anda em baixa depois de más atuações.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas