Conheça a Cafeína, escola baiana de formação empreendedora para adultos e crianças

salvador
01.05.2022, 11:00:00
(Foto: Paula Fróes/ CORREIO)

Conheça a Cafeína, escola baiana de formação empreendedora para adultos e crianças

Já são 130 alunos e mais 500 pessoas que passaram pelos outros cursos

Pense no gole de café e na energia que a bebida é capaz de provocar. E se cada dose fosse o conhecimento necessário para que o empreendedor desperte sua melhor atitude?  “O nome Cafeína vem de energia, né? Quando você toma café, a ideia é que você fique mais acordado, mais esperto. Então, Cafeína é para despertar mesmo e é isso que queremos levar para os nossos alunos e seus negócios”, afirma a fundadora da Escola Cafeína Cursos para Empreendedores, Anajúlia Paes.  

Localizada no Caminho das Árvores, a Cafeína (@escolacafeina) nasceu um pouco antes da pandemia de uma inquietação de Anajúlia. Administradora e relações públicas, ela sempre trabalhou com marketing digital e, muitas vezes, via seus clientes cobrarem da agência um resultado imediato nas redes sociais, quando o problema estava na própria gestão do empreendedor.  

“Normalmente, eles entendem muito da sua atividade principal. Ao mesmo tempo que isso é sensacional, porque você vai lá e faz; é também desafiador porque com o tempo o negócio não se sustenta se não tiver essa base, o conhecimento de gestão. Pensei: sabe de uma? Vou criar um curso para o empreendedor perceber que o problema é mais embaixo”, conta.  

De grão em grão, já são quatro turmas e 80 alunos na Formação Empreendedora, com duração de 2 anos; 50 crianças no curso de Empreendedorismo Sermente; e mais 500 pessoas que passaram pelas formações avulsas. Além dos cursos in company em empresas como a Bayer, Correios e Intel. Todos os cursos são presenciais, mas também acontecem eventos gratuitos online.    

“O investimento inicial foi a minha cara e coragem mesmo de fazer dar certo com o que eu tinha. De início, eu permutei meus serviços de consultoria e redes sociais, era a minha moeda no momento. E a outra parte eu passei no meu cartão de crédito.  Não recomendo isso para ninguém, mas se não fosse assim, eu nunca começaria. Hoje somos a primeira escola de formação empreendedora do país”.  

A média de faturamento anual da Cafeína antes da pandemia era um pouco menos de R$ 300 mil. Diante do plano de expansão da escola, esse faturamento pode chegar a R$ 800 mil até o final de 2022 com a abertura de uma nova unidade no Rio de Janeiro, nos próximos meses.  

Mas, até mesmo Anajúlia enfrentou os desafios impostos pela covid, quando ficou praticamente sem nenhum faturamento e precisou buscar atividades extras de consultoria para manter a escola. “A nossa razão de viver e renascer era a aula presencial, barrada no início da pandemia. Mesmo assim, a escola precisava se manter viva. A estratégia foi promover várias iniciativas online e gratuitas para que quando a pandemia passasse, estivéssemos ali de alguma forma acessando novas pessoas”.

Anajúlia Paes criou a metodologia Cafeína com aulas práticas e adaptadas ao negócio de cada empreendedor
(Foto: Paula Fróes/ CORREIO)

E foi justamente isso que aconteceu. Muitas pessoas passaram a conhecer a Cafeína por conta desse fortalecimento da escola nos eventos e conteúdos nas redes sociais.  “Foi isso que nos salvou e nos trouxe até aqui. O que faz a gente inovar sempre é o público alvo, estar ligado às suas necessidades. A cada ano que passa, as necessidades mudam. O comportamento do consumidor, também. E se não estamos atentos a isso, perdemos muitas oportunidades”. 

Atitude empreendedora  
Se de um lado muitas pessoas passaram a empreender por necessidade, outras encontraram na pandemia a vontade de tirar os planos de ter o seu próprio negócio do papel, quando o trabalho que estavam já não fazia mais sentido.

“Temos muitos alunos que não eram felizes no trabalho, entraram na Cafeína e saíram para viver só de empreendedorismo. Outros, tinham muito medo de arriscar um novo passo. O nosso propósito enquanto escola é despertar a atitude empreendedora em todos os sentidos”.  

A metodologia da Cafeína foi criada a partir das experiências compartilhadas nos cursos, quando Anajúlia buscava a melhor maneira de levar mais conhecimento sobre finanças, administração, gestão de tempo, liderança, processos e produtividade. “São aulas lúdicas, construtivas, com atividades práticas a partir de vivências, dores, necessidades e problemas. Todos os cursos são adaptados e aplicados ao negócio do empreendedor e não em exemplos fictícios ou de empresas fora da nossa realidade”, destaca.    

A equipe da Cafeína conta com 10 professores. Entre as modalidades de curso que a escola oferece está o Café e Prosa, que é gratuito, tem uma carga horária de 4h e acontece uma vez por mês sempre trazendo um tema diferente. Outra opção é o Grão em Grão, um curso avulso que acontece durante quatro noites na semana ou em um fim de semana, que custa entre R$ 860 e R$ 1,8 mil.  

Já a Formação Empreendedora tem duração de 20 meses. As aulas são ministradas um fim de semana por mês e a mensalidade custa de R$ 760 até R$ 1,2 mil. O curso Sermente, voltado para crianças e adolescentes tem aulas todas as terças-feiras e varia de R$ 200 a R$ 250 por mês.  

Em maio, a Cafeína inicia a sua quinta turma da Formação Empreendedora. Quase metade das 25 vagas já estão preenchidas, como afirma Anajúlia. “Quem quer empreender com criatividade tem que ser diferente. Tudo que dá certo, as pessoas vão lá e criam algo muito parecido. Por que você e não o outro do seu segmento? A resposta não pode ser qualidade e atendimento. Diferenciais precisam ser específicos, ser algo único, de cada empresa”.  

OS CONSELHOS DE ANAJÚLIA

. Faça dar certo até dar certo Busque cursos, qualificação, leia bastante. Caia, levante, aprenda com os seus erros, mas empreenda naquilo que acredita. 

. Se não sabe, busque aprender o quanto antes Não faça de qualquer jeito. Sem o domínio do processo, nenhum empreendedor consegue transmitir aquilo que sabe e o que quer vender para ninguém. 

. Seja diferente dos outros Descubra o que o torna melhor no segmento diante dos concorrentes. 

. Empresa sem gestão tem prazo de validade Planejamento estratégico sem pensamento de longo prazo vai te limitar a só ficar apagando incêndio e impedir de enxergar uma oportunidade de crescimento do negócio. 

. Rede social não é tudo Muitas vezes, o principal problema que dificulta o acesso ao seu público está, na verdade, na gestão – de tempo, processos, equipe, finanças. 

QUEM É

Anajúlia Paes Fundadora da Cafeína Escola de Empreendedores, é formada em Administração pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) e Relações Públicas pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas