Conheça o que há de mais moderno para acabar com o ronco

ivan dias marques
26.09.2019, 05:00:00

Conheça o que há de mais moderno para acabar com o ronco


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Ninguém gosta de roncar. Pior ainda é quem dorme - ou tenta dormir - ao lado de alguém que faz tanto barulho durante a noite. E, aí, não tem jeito: é preciso tomar alguma atitude. Popularmente, uma cotovelada de leve, virar pro lado, almofada antirronco, remédio caseiro e até cirurgia são usados para aliviar a vida das pessoas que convivem com o problema, causado pelo estreitamento ou obstrução nas vias respiratórias superiores.

A tecnologia tratou de cuidar do ronco de uma forma mais leve, com poucas - ou nenhuma - reações adversas, mas, claro, com a demanda de algum investimento.

São dois tipos de ferramentas tecnológicas, acompanhadas de aplicativos para monitoramento e leitura do sono: máscaras e cinta. Dentre as máscaras, se destacam a Snore Beurer (entre R$ 750 e R$ 850), a Snore Circle (R$ 420, em média) e a Hupnos (US$ 279, cerca de R$ 1.100).

A Snore Beurer e a Snore Circle funcionam da mesma forma. Elas contam com um chip que fica centralizado na testa. Ao menor sinal de ronco, as máscaras enviam uma espécie de pulso de vibração que faz o usuário parar. E fazem isso quantas vezes forem necessárias durante o período de sono. 

Snore Beurer custa R$ 800, em média (Foto: divulgação)



Já a Hupnos funciona de forma diferente. Quando ela ‘sente’ o ronco, envia uma vibração que faz o usuário mudar de posição. É o mesmo princípio da Philips SmartSleep Snoring Relief Band (ufa!), uma faixa que é presa no tronco do ‘roncador’. O acessório está à venda no site da Philips, nos EUA, por US$ 199,99, cerca de R$ 830. 

Segundo a empresa, cinco estudos clínicos comprovaram a eficácia da faixa, que deixou 85% dos usuários satisfeitos com a melhora na qualidade do sono. A faixa, diferentemente das máscaras, não possui app relacionado. Ela mesma mostra informações sobre o sono.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas