Conselho do Vitória cria comissão para investigar gestão Paulo Carneiro

e.c. vitória
16.05.2021, 17:30:00
Atualizado: 16.05.2021, 17:31:14
Paulo Carneiro, presidente do Vitória (Arisson Marinho/Arquivo CORREIO)

Conselho do Vitória cria comissão para investigar gestão Paulo Carneiro

Presidente do clube pediu afastamento do Vitória S/A

O Conselho Deliberativo do Vitória decidiu, no último sábado (15), instituir uma comissão para investigar a gestão do presidente Paulo Carneiro. O dirigente pediu temporariamente o afastamento do Vitória S/A, do qual é diretor-presidente, até a conclusão da investigação.

Durante o sábado (15), aconteceram duas reuniões: a primeira em caráter ordinária e a seguinte de caráter extraordinária. A primeira teve como pauta a apreciação das contas do Conselho Diretor da temporada de 2020, o que não ocorreu. Segundo o presidente do Conselho Fiscal, Jailson Reis, em contato com o CORREIO, as contas não foram enviadas dentro do prazo. Por conta disso, não houve votação das contas (entenda abaixo).

Já a reunião seguinte teve como pauta principal a análise e debates sobre as ações judiciais entre Paulo Carneiro, Vitória S/A e Esporte Clube Vitória. Durante a assembleia, o presidente do clube pediu o afastamento do Vitória S/A.

"A pauta da reunião era a questão das ações do presidente do Vitória contra o Vitória S/A e vice-versa. Diante disso, o presidente [Paulo Carneiro] tomou a iniciativa de se afastar da S/A enquanto a comissão apura se há ou não irregularidade ou conflito de interesse ou de competência, pelo fato dele ser presidente do clube e ter processos contra o clube e do clube contra ele. Mesmo com esses processos sendo de antes da atual gestão", explicou, ao CORREIO, o presidente do Conselho Deliberativo do Vitória, Fábio Mota.

Segundo Mota, o Conselho Deliberativo já havia recebido uma denúncia do Conselho Fiscal do Vitória em razão de uma suposta dificuldade para fiscalizar o clube.

"Na reunião passada, nós tínhamos criado uma comissão, com sete nomes, pois houve uma denúncia do Conselho Fiscal de que o trabalho estava sendo obstruído, que ele não estava conseguindo ter o acesso aos documentos do clube. Então, essa comissão foi constituída, desenvolveu o trabalho, ouviu o presidente do Conselho Fiscal, ouviu o presidente do Conselho Diretor, e está na sequência para apresentar o relatório. Na reunião de sábado (15), ampliamos o poder dessa comissão, colocamos mais três membros - ou seja, ficarão dez membros -, para fazer uma investigação da gestão como um todo", afirmou.

O presidente do Conselho Deliberativo do Vitória também explicou o tipo de punição cabível, caso alguma irregularidade seja encontrada.

"Pode ser todo o tipo de punição, desde suspensão a afastamento. Vai depender de que tipo de irregularidade pode ser encontrada. Durante essa semana, haverá uma reunião da comissão, para definir um calendário e um cronograma", explicou.

Paulo Carneiro foi eleito em abril de 2019 e tem mandato até 2022. Neste domingo (16), o dirigente emitiu nota oficial sobre a reunião e o afastamento temporário do Vitória S/A.

"Proposta, então, a constituição de uma comissão para avaliar eventual infração estatutária resultante das discussões postas nas ações, antes da votação, resolvi me manifestar no sentido de concordar com a proposta – pois só assim, o que espero, pode ser esclarecida de vez essa situação -, apresentando, em seguida, de modo pessoal e absolutamente livre, a comunicação de meu afastamento temporário da direção do VITÓRIA S/A, até para não fomentar mais dúvidas em relação aos atos por mim adotados", escreveu o presidente do Vitória.

"Em seguida, fora também proposta a extensão do objeto de comissão já instalada, desta feita para examinar todos os atos praticados pelo Conselho Diretor do Esporte Clube Vitória, a partir de abril de 2019, o que também concordei por nada, absolutamente nada, ter a esconder", completou. (Leia a nota completa ao fim da matéria)

Sem apreciação das contas

O Conselho Deliberativo do Vitória convocou, no dia 4 de maio, a reunião com o objetivo de julgar as contas de 2020. Pelo estatuto do clube, no seu art. 38, I, c, a assembleia acontece em caráter ordinário "na primeira quinzena de maio de cada ano, para apreciar o relatório do Conselho Diretor e julgar as contas do exercício anterior".

Conforme previsto no art. 46-A da lei federal 9.615/98 (Lei Pelé), os clubes brasileiros têm até o último dia útil do mês de abril para publicar o balanço financeiro referente ao ano anterior.

Porém, em nota oficial assinada pelo presidente Paulo Carneiro no dia 7 de maio, ele afirma que o clube solicitou adiamento do prazo para entrega dos registros, e que está respaldado por lei.

"Vigente estas normas, em 08 de janeiro de 2021, fora publicada a Lei Ordinária nº 14.117/21, cujo artigo 7º, prorrogou por sete meses o prazo indicado no art. 46-A, inciso I (...). Por força dos efeitos da pandemia, que geraram, inclusive, a redução do quadro de funcionários do clube, houve atraso das informações contábeis para os Auditores Independentes, não sendo possível, portanto, a conclusão do exame das documentações solicitadas, ficando estimado o novo prazo para entrega final do relatório em 14 de maio de 2021", diz um trecho da nota.

Com a nova data, segundo o presidente do Conselho Fiscal do Vitória, Jailson Reis, não houve tempo hábil para a apreciação das contas do órgão fiscalizador.

"A reunião estava prevista para ontem [sábado]. Entretanto, o Conselho Diretor solicitou, através de requirimento, dilatamento do prazo de entrega da auditoria, que estava prevista do dia 30 de abril, para o dia 14 de maio, sexta-feira, juntamente com o relatório do próprio Conselho Diretor. Não tinha como avaliar tudo em um sábado recebendo em uma sexta", disse.

Porém, segundo Jailson, nada foi entregue ao Conselho Fiscal. "Ele [Paulo Carneiro] entregaria na sexta-feira (14) o relatório da auditoria e o relatório do Conselho Diretor. Só que, até hoje [domingo, 16], no horário da manhã, não havia entregue nada. Ou seja, ele descumpriu até o pedido da dilatação de prazo. Não cumpriu e não justificou, até agora. Não fomos comunicados quando será a entrega", afirmou.

"Alguns documentos a gente tem dificuldade de acesso. A auditoria não entregou a parte dela, o Conselho Diretor também não entregou o relatório. E a auditoria ainda precisa informar à contabilidade os ajustes a serem feitos no balancete. Ou seja, também não fechou. O clube está atrasado", continuou.

Jailson Reis explicou o que ocorrerá a partir de agora. "Nesta segunda-feira (17), irei questionar o Conselho Diretor  o porquê da não-entrega da documentação na última sexta. E, ao Conselho Deliberativo, vou comunicar e oficializar ao sobre a não-entrega. Com base nisso, será emitido um parecer", disse.

"Diante de tanta irregularidade, tanta dificuldade... Não acho que deva dar um novo prazo. Todos os clubes de futebol já publicaram. O decreto não obriga a estender o prazo, dá a possibilidade. Mas o regimento interno do clube determina qual o prazo dele", concluiu.

Veja a nota assinada por Paulo Carneiro: 

"Em decorrência da reunião do Conselho Deliberativo do Esporte Clube Vitória realizada no dia de ontem (15.05), e por conta do meu afastamento temporário livremente solicitado, do VITÓRIA S/A, surgiram, nas redes sociais e na imprensa, interpretações de toda ordem, algumas com o deliberado propósito de pretender atrair para si eventual “sucesso” pelo distanciamento que anunciei das funções diretoras da Companhia.

Em primeiro lugar, quero deixar absolutamente claro que nunca fui pessoa de me impressionar, ou me deixar pressionar, por manifestações desocupadas de quem quer que fosse.

Em segundo lugar, devo esclarecer que a reunião do Conselho Deliberativo do ECVitória tinha como pauta ações cíveis envolvendo a minha pessoa e o VITÓRIA S/A.

Proposta, então, a constituição de uma comissão para avaliar eventual infração estatutária resultante das discussões postas nas ações, antes da votação, resolvi me manifestar no sentido de concordar com a proposta – pois só assim, o que espero, pode ser esclarecida de vez essa situação -, apresentando, em seguida, de modo pessoal e absolutamente livre, a comunicação de meu afastamento temporário da direção do VITÓRIA S/A, até para não fomentar mais dúvidas em relação aos atos por mim adotados.

Em seguida, fora também proposta a extensão do objeto de comissão já instalada, desta feita para examinar todos os atos praticados pelo Conselho Diretor do Esporte Clube Vitória, a partir de abril de 2019, o que também concordei por nada, absolutamente nada, ter a esconder.

Espero, afinal, que as interpretações maldosamente expressadas por parte daqueles que, se afastando dos interesses da Instituição, buscam satisfação de interesses próprios, tenham sido esclarecidas, e que o Vitória, às vésperas da estréia no Campeonato Brasileiro, possa ter um pouco de paz e o apoio de todos nessa empreitada que se iniciará.

PAULO ROBERTO SOUSA CARNEIRO
Presidente do Conselho Diretor do Esporte Clube Vitória".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas