Consumidor poderá bloquear ligações de telemarketing; veja como

tecnologia
05.07.2019, 16:10:00
(Foto: Reprodução/Shutterstock)

Consumidor poderá bloquear ligações de telemarketing; veja como

Medida vale para chamadas provenientes das principais empresas de telecomunicações

Um dos maiores sonhos dos consumidores brasileiros está prestes a se realizar. Até o dia 16, as principais empresas de telecomunicação deverão lançar uma lista de consumidores que não desejam receber chamadas de telemarketing que oferecem serviços de telefonia, TV por assinatura e internet.

Na determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), também fica exposto que os consumidores também deverão ter fácil acesso à esta lista. Assim, tendo o direito de bloquar, quando desejar as ligações indesejadas. 

A medida vale para as empresas Algar, Claro/Net, Nextel, Oi, Sercomtel, Sky, TIM e Vivo. Caberá às empresas divulgar o meio pelo qual as pessoas deverão solicitar o bloqueio de seu número. 

O consumidor que tiver seu número nessa lista deixará de receber ligações de telemarketing apenas das empresas Algar, Claro/Net, Nextel, Oi, Sercomtel, Sky, TIM e Vivo.

Robôs na mira
A lista nacional bloqueia também as ligações realizadas por robôs. Com o telemarketing automatizado, as operadoras passaram a usar um discador que recebe uma lista de telefones para fazer as ligações. Após isso, as chamadas passadas para atendentes ou o consumidor ouve uma gravação ao atender.

Casos de ligações mudas ou que caem ao atender costumam ocorrer por falhas no sistema ou porque não há atendentes para o robô passar a ligação. Esse sistema também faz com que as ligações sejam repetidas para o mesmo consumidor no decorrer do dia.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas