Criança de 11 anos é morta com golpes de foice durante assalto em Feira de Santana

bahia
21.10.2020, 23:24:00

Criança de 11 anos é morta com golpes de foice durante assalto em Feira de Santana

Kaíque Soares Queiroz foi morto no distrito Maria Quitéria; bandido, que está foragido, levou celular e carteira com R$ 300

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

(Foto: Redes Sociais)

Uma criança de 11 anos foi morta com golpes de foice na cabeça, no distrito Maria Quitéria, na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 Km de Salvador. O crime aconteceu nesta quarta-feira (21).

O delegado Felipe Ghiraldelli, responsável pelas investigações, falou com o G1 e contou que o crime ocorreu durante um assalto. Kaíque Soares Queiroz foi morto na Fazenda Caldeirão, na localidade Água Grande, por volta de 8h30. Segundo o que o delegado informou ao portal, o criminoso conseguiu levar um celular e uma carteira da criança com cerca de R$ 300.

Pouco antes do crime, o garoto havia saído de casa com o objetivo de procurar algumas cabras que seriam de alguns dos parentes dele. Ele estava no matagal com um aparelho celular e com a certeira, e não apareceu mais até ser achado morto.

A Polícia Civil (PC) disse que o suspeito do crime, que tem 20 anos, mora em um imóvel vizinho ao da vítima e saiu de casa no mesmo horário que o garoto para capinar um terreno.

Antes do corpo de Kaíque ser encontrado, o autor do crime teria chegado a ir em casa, com as roupas sujas de sangue e com R$ 300 além do celular da vítima, mas fugiu ao ser interrogado por familiares. A polícia informou que o suspeito tem passagens pela polícia por furto e roubo e estava preso na Mata Escura, de onde saiu há três meses.

O corpo da criança foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) da região. Não há informações sobre o enterro. A polícia faz rondas na localidade para achar o suspeito do crime.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas