Cultura é essencial

minha bahia
24.10.2020, 16:00:00
Atualizado: 25.10.2020, 12:46:35

Cultura é essencial

É preciso valorizar e dar visibilidade à Cultura local, pois ela é um poderoso fator de desenvolvimento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Entre nós, cultua-se pouco a Cultura. Mas ela é indispensável para a formação humana e, portanto, precisa estar na agenda das Prefeituras, por menor que seja o Município. A valorização das expressões culturais locais deve ser o primeiro passo das ações culturais de um município, porque é algo que só sobreviverá se forem prestigiadas pela Prefeitura e constituem a sua própria identidade. É preciso valorizar e dar visibilidade à Cultura local. 

Aqui inclui-se um amplo leque de atividades por onde transitam as tradições, o folclore, o conhecimento tradicional, o artesanato, crenças e lendas, mas também as artes em geral, formando um conjunto diversificado e eclético que precisa ser trabalhado de acordo com as características e os valores locais. A cultura é um poderoso fator de desenvolvimento.   

Nesse campo, bem mais importante do que construir instalações suntuosas, que mesmo nas grandes cidades costumam ficar ociosas ou subutilizadas, a tarefa é promover a Cultura, mediante a disponibilidade de apoio financeiro para a dinamização das atividades. Em relação à infraestrutura, em cidades menores, mais interessante é ter um único espaço multiuso, que sirva conjuntamente ao teatro, à música, à dança, ao cinema e a outras manifestações culturais. Na falta de equipamentos – e mesmo na existência deles – espaços não convencionais podem se constituir em locais apropriados para a Cultura. 

O equipamento urbano se constitui de sua infraestrutura – o prédio, e do serviço – a atividade. Em relação à Cultura o serviço é muito mais importante que a infraestrutura. Entre nós, contudo, a ordem costuma ser invertida e a infraestrutura é confundida com a própria atividade. Aplica-se aqui uma espécie de regra geral, segundo a qual gostamos de executar obras, mas não somos bons administradores de serviços. É preciso caprichar nas atividades. Mais importante é mobilizar e incentivar agentes e instituições culturais. 

Um dos segmentos culturais mais negligenciados entre nós é o das bibliotecas públicas. É preciso despertar o hábito e o prazer pela leitura. Com o mundo virtual em que vivemos as bibliotecas ganham ainda um outro perfil, porque agora não é mais preciso ter um grande acervo físico de livros. E bibliotecas importantes podem ser acessadas online. Daí, a associação das bibliotecas com ambientes de informática passam a ser um novo modelo para o equipamento, podendo gerar resultados extraordinários. A sugestão é reunir em um mesmo prédio a biblioteca, um espaço de coworking, um laboratório de ciências e uma sala de reuniões e treinamento, criando um equipamento híbrido, moderno, dinâmico, capaz de juntar conhecimento com inovação, potencializando o seu impacto social. 

Atenção especial merece o patrimônio histórico local, independente de outros atributos, pelo seu valor intrínseco em relação à história do lugar, devendo ter aproveitamento adequado. O que parece não ter valor, pela convivência diária, e às vezes até o uso, é relevante para as futuras gerações. Imóveis, documentos, utensílios, monumentos, públicos e privados, são elementos que precisam ser tombados e preservados.  

Convém mapear os festejos cívicos, religiosos e populares do município e identificar as várias expressões e grupos artísticos locais. São todos conhecidos, mas estão isolados e desconexos. Eles constituem a base inicial para a montagem de uma programação cultural e o estabelecimento do calendário de eventos do município, passo fundamental para estruturar e dar visibilidade à ação cultural da Prefeitura.  

Em uma ação já mais estruturada, a publicação de editais de chamamento público para o fomento cultural  às diversas manifestações artísticas constitui estágio importante para o fortalecimento da política pública de cultura. 

Para termos um país melhor, cultura é gênero de primeira necessidade.


Waldeck Ornélas é especialista em planejamento urbano-regional.



***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas