Dabove diz que salários atrasados não pesaram em derrota do Bahia

e.c. bahia
26.09.2021, 18:49:08
Atualizado: 26.09.2021, 19:28:21
Jogadores do Bahia estão sem concentrar e sem dar entrevistas (Ricardo Duarte / SC Internacional)

Dabove diz que salários atrasados não pesaram em derrota do Bahia

Técnico vê primeiro tempo muito ruim e explica escalação titular

Diego Dabove terminou o seu quinto jogo à frente do Bahia com um mau resultado e um mau efeito decorrente dele: o tricolor perdeu para o Internacional fora de casa por 2x0 pela 22ª rodada e caiu para o Z4 pela primeira vez nesta Série A.

Para o técnico, a situação extracampo não pesou tanto no resultado. Durante a semana, o elenco avisou à diretoria que não se concentraria mais antes das partidas em Salvador e não daria entrevistas por conta dos salários atrasados no clube.

“São situações normais dentro do futebol. Tenho 20 anos de futebol e vivi milhões de vezes episódios como esse. Creio que vão conversar muito com a diretoria e chegarão a um acordo que será o melhor para todos”, disse o treinador.

Ele acredita que os fatores em campo pesaram mais: “Claro que é difícil desligar totalmente disso (problemas extracampo), mas do ponto de vista da análise futebolística creio que fizemos um primeiro tempo mal no geral e saímos atrás do placar”.

O Bahia sofreu dois gols de bola aérea, aos 38 minutos da primeira etapa, com Yuri Alberto, e aos 28 da etapa final, com Rodrigo Dourado. Estacionado nos 23 pontos, o Esquadrão é agora o 17º colocado da Série A, atrás do Santos, que tem 24.

Sobre Ruíz e Fonseca

Dabove optou por manter Óscar Ruíz e Lucas Fonseca como titulares. Questionado em entrevista coletiva após a partida, justificou as escolhas. Conti, que é titular da zaga, sentiu uma lesão durante a última semana de treinos.

“Jogaram porque pensávamos que era o melhor para o momento. Fonseca fez boa partida na semana passada e seria ilógico se não continuasse caso não tivéssemos Conti. E Ruíz vinha jogando bem, dentro do que pedimos a ele. Obviamente, conheço o jogador e sei que tem mais para dar e vamos seguir nessa busca”, afirmou.

O técnico também foi perguntado se a lesão de Rodriguinho, que saiu com dores na costela aos quatro minutos de jogo, atrapalhou o desempenho da equipe em campo.

“Sim, mudou um pouco por conta das características distintas de Rodriguinho para Gilberto. Mas acho que o que pensávamos e buscávamos para a partida não mudou tanto. No segundo tempo a equipe conseguiu melhorar muito em relação ao primeiro”, disse.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas