Defesa e comandantes das Forças Armadas reagem a fala de Aziz na CPI: 'ataque leviano'

brasil
07.07.2021, 21:14:38
Atualizado: 07.07.2021, 21:25:28
(Divulgação/Defesa/Alexandre Manfrim e Igor Soares)

Defesa e comandantes das Forças Armadas reagem a fala de Aziz na CPI: 'ataque leviano'

Na CPI, senador disse que há muitos anos o Brasil "não via membros do lado podre das Forças Armadas envolvidos com falcatrua dentro do governo"

O Ministério da Defesa emitiu nota de repúdio à fala do presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), sobre suposto envolvimento de integrantes das Forças Armadas em ilícitos.

"Fazia muitos anos que o Brasil não via membros do lado podre das Forças Armadas envolvidos com falcatrua dentro do governo, fazia muitos anos", disse o parlamentar durante depoimento da sessão da comissão desta quarta-feira, 7.

A declaração foi dirigida ao depoente Roberto Dias, que foi sargento da Aeronáutica e cujo nome foi citado em denúncias de irregularidades na aquisição de vacinas pelo governo federal.

Na nota, assinada pelo ministro da Defesa Walter Braga Neto e pelos comandantes de Marinha Exército e Aeronáutica, chama a acusação de "grave, infundada e irresponsável". "As Forças Armadas não aceitarão qualquer ataque leviano às instituições que defendem a democracia e a liberdade do povo brasileiro", diz o documento, que se deteve à fala do senador, sem entrar no mérito da prisão de Dias, ordenada por Aziz durante a sessão.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) divulgou a nota nas redes sociais sem fazer comentários.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas