Delegada que apura queda de médica do 5º andar aguarda resultado da perícia

salvador
23.07.2020, 20:40:00
Atualizado: 23.07.2020, 21:26:19
(Reprodução e Acervo Pessoal)

Delegada que apura queda de médica do 5º andar aguarda resultado da perícia

Investigações pretendem apontar o que ocasionou a queda da médica Sáttia Lorena Aleixo, 27 anos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam/Brotas) e responsável por conduzir as investigações que apuram a queda da médica Sáttia Lorena Patrocínio Aleixo, Bianca Torres afirmou que está aguardando o resultado do laudo pericial para entender o que aconteceu na madrugada de segunda-feira (20).

Sáttia, de 27 anos, gritou por socorro antes de cair do 5º andar de um prédio no bairro de Armação. De acordo com relatos de testemunhas à polícia, ela caiu após uma briga com o namorado, Rodolfo Cordeiro Lucas, que também é médico e foi autuado em flagrante por suspeita de tentativa de feminicídio. O fato aconteceu na Rua Rodrigues Doria, no edifício Serra do Mar, no bairro de Armação, em Salvador.

"Ainda não podemos falar qual a linha de investigação. Nós estamos ouvindo as partes, foi solicitada a perícia do local do crime. Estamos aguardando o laudo para, a partir da posição que ela foi encontrada, saber se ela foi empurrada, se caiu e o que foi que aconteceu. Mas ainda precisamos aguardar o laudo", disse a delegada, sem precisar uma data para a finalização do laudo.

Foto: Divulgação

Rodolfo Cordeiro Lucas teve a prisão em flagrante convertida para prisão preventiva pela Justiça. Ele, que negou o crime e alegou que ela se jogou da janela, permanece custodiado na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Brotas.

Já Sáttia está no Hospital Geral do Estado (HGE), entubada em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com duas perfurações no rosto, fraturas em todos os ossos da face, dentes quebrados e luxações por todo o corpo. Primo de Sáttia, o advogado Anderson Moreira, 26, informou que ela está reagindo às medicações.

Relação abusiva
A delegada Bianca Torres disse ainda que está ouvindo testemunhas como o porteiro do prédio, a primeira pessoa a ver Sáttia no chão. Quando a Polícia Militar chegou ao local, ele relatou que o casal havia brigado instantes antes de a médica cair do 5º andar do prédio. A delegada disse ainda que vai ouvir parentes de Sáttia e que já foi feita perícia no apartamento. Além disso, já foram solicitadas as imagens das câmeras do prédio.

Numa conversa com o CORREIO, o primo de Sáttia, o advogado Anderson Moreira, disse que a família soube que a briga teria sido motivada porque a médica descobriu que o namorado é casado. “Foi o que chegou para nós, de que a discussão era porque Sáttia ficou sabendo que ele era casado. Mas, por enquanto, é só uma especulação”, disse ele. A delegada Bianca Torres disse que esta informação não chegou até ela.

Sáttia e Rodolfo estavam juntos há sete meses e, segundo parentes dela, a médica vivia um relacionamento conturbado. “Ela estava numa relação tóxica, abusiva. Ele controlava ela em tudo. Fez ela deletar o perfil do Instagram, mexia direto no WhatsApp dela, tinha um ciúme doentio. Qual pessoa hoje em dia não está nas redes sociais? Ela não podia porque ele não queira. Cansava de ir ao trabalho dela para escoltá-la. Não deixava ela sair sozinha, só com ele”, contou Anderson.

O primo da médica disse que várias vezes ela terminou, mas voltava atrás porque ele dizia que ia mudar. “Era sempre assim. Ele chegava chorando e ela perdoava. Certa vez, ela me disse que tirou tudo dela da casa e foi morar com a mãe e ele foi atrás e garantiu que ia mudar”, relatou Anderson. Os pais de Sáttia moram em Senhor do Bonfim, no Centro-Norte da Bahia, mas vieram para Salvador para acompanhar o estado de saúde de filha.

Perguntado se Sáttia teria algum motivo que a levasse à tentativa de um suicídio, Anderson disse que não. “Jamais. Por toda a conduta dela, por amar a vida, por salvar vidas, por ser uma pessoa inteligente, ela não faria isso. Nós não estamos acusando ele de nada, apenas queremos o esclarecimento dos fatos”, finalizou. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas