Dois acusados de participar em chacina em festa 'paredão' no Uruguai são presos

salvador
13.10.2021, 14:37:00
Atualizado: 13.10.2021, 19:55:04
(Paula Fróes/CORREIO)

Dois acusados de participar em chacina em festa 'paredão' no Uruguai são presos

Também feridos, eles estavam em unidades de saúde, segundo a polícia

Dois suspeitos de envolvimento na chacina que aconteceu durante uma festa do tipo 'paredão' no Uruguai, na noite da terça (12), foram presos nesta quarta-feira (13) pelo Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoal (DHPP). Segundo a Polícia Civil, os dois presos estavam em uma unidade de saúde - além dos seis mortos, doze pessoas ficaram feridas.

“Com a prisão desses dois supostos envolvidos conseguiremos chegar a outros que participaram da ação e assim chegar à motivação do ocorrido”, diz a diretora do DHPP, delegada Andréa Ribeiro.

Mais cedo, a delegada já havia falado da possibilidade de pessoas que foram baleadas na ocasião estivessem envolvidas no crime. 

As investigações têm o apoio Departamento de Inteligência Policial (DIP) e Departamento de Polícia Metropolitana (Depom). O objetivo agora é identificar outros envolvidos e a motivação do crime. "Estamos buscando identificar todas as vítimas. Caso alguma delas tenha envolvimento no episódio, ela será autuada", havia dito a delegada. "Muitas vítimas não têm nada a ver com a situação. São jovens que estavam no local curtido o paredão", acrescenta.

PM diz que só foi acionada após tiroteio começar
Em coletiva na tarde desta quarta, o coronel Paulo Guerra, comandante do policiamento regional da capital da Polícia Militar, garantiu que suas equipes só foram acionadas após o início do tiroteio na festa paredão. "Esse chamado para presença da guarnição foi a partir da meia noite. Nós temos uma dinâmica muito grande para uma viatura dessa que faz um policiamento ostensivo em uma região como aquela. De ontem pra hoje, foram 700 solicitações de atendimento a ocorrência com paredão. Por vezes, as guarnições nem sempre estão disponíveis, mas, de qualquer forma, pra esse caso específico, assim que tivemos o chamamento, nos fizemos presentes”, garantiu o coronel.

Guerra também foi perguntado sobre as ações de combate aos paredões no bairro do Uruguai e, além de afirmar que o policiamento por lá é sempre reforçado, ressaltou que a PM continua trabalhando em conjunto com outros órgãos para combater esse tipo de festa de maneira estratégica através de uma operação conjunta. "A Secretaria de Segurança Pública já tem um direcionamento pleno em relação a estas ações. Nós temos a operação Silere, coordenada pela SIAPE, Polícia Militar, Polícia Civil e Sedur municipal, que se reúnem toda terça-feira para estabelecer ações de combate ao paredão", concluiu Guerra.

Tiroteio em paredão
Um vídeo que circula nas redes sociais mostra momentos antes dos disparos. A festa toma conta da rua e várias pessoas ocupam as calçadas dançando e bebendo, ao lado do carro com o som. "Dizem que foram vários tipos de  armas, pistolas, 38 (revólver). Só não tinha arma longa", disse um morador da Rua 8 de Dezembro, onde o ocorreu o fato.

Testemunhas também relatam que um homem conhecido como "Binho" teria chegado ao local e os organizadores da festa teriam ficado com receio de acontecer uma briga e desligaram o som. Binho teria se irritado e começou a disparar contra as pessoas.

Os tiros duraram menos de cinco minutos, mas como a festa estava cheia, muitas pessoas foram atingidas. Segundo a Polícia Civil,  um grupo armado chegou ao local onde acontecia uma festa do tipo “paredão” e efetuou vários disparos, houve confronto e cerca de 15 pessoas foram atingidas. Policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa já estão em campo, realizando a apuração do caso. 

Vítimas
As vítimas do tiroteio em uma festa paredão no bairro do Uruguai na madrugada desta quarta-feira (12) já começaram a ser identificadas. Entre elas, está o adolescente Alexsandro dos Santos Seixas, 16 anos.

Alexsandro morreu no local do crime e não chegou a ser socorrido. Outras 12 pessoas permanecem internadas em unidades de saúde de Salvador. 

Os outros mortos na ação foram identificados como Deivison da Conceição Santos Santana, Brenda Buri da Silva, Adriane Oliveira Santos, Jailton Sales do Santos e Kadson dos Santos Passos.

* Colaborou Wendel de Novais.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas