Drive thru no Subúrbio Ferroviário vacinará gestantes e puérperas contra gripe

salvador
28.04.2020, 20:00:00
Atualizado: 28.04.2020, 20:33:04

Drive thru no Subúrbio Ferroviário vacinará gestantes e puérperas contra gripe

Ação começará nesta quarta-feira (29), em Fazenda Coutos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

As mulheres grávidas e puérperas (que tiveram bebê nos últimos 45 dias) poderão se proteger contra gripe em mais um drive thru de vacinação. Desta vez, o ponto será instalado pela Prefeitura de Salvador no Atakadão Atakarejo de Fazenda Coutos e funcionará a partir desta quarta-feira (29), das 08h às 13h.

Além do Subúrbio Ferroviário, outros quatro locais oferecerão a vacina no mesmo modelo: a Arena Fonte Nova; o 5º Centro de Saúde Clementino Fraga, nos Barris; e os dois campi da Faculdade Bahiana de Madicina, nos bairros do Cabula e Brotas.

Para as puérperas terem acesso às doses, elas precisam apresentar documentação que comprove a que realização do parto nos últimos 45 dias. Idosos que ainda não se vacinaram na primeira fase da imunização também poderão comparecer aos postos para que sejam vacinados.

Além dos drive thrus, a vacina está sendo disponibilizada em outros 57 postos de saúde de referência para os demais grupos eletivos: caminhoneiros, profissionais de transportes coletivo (motoristas e cobradores), portuários, portadores de doenças crônicas e profissionais das forças de segurança e salvamento, além de funcionários do sistema prisional e trabalhadores da saúde. 

Portadores de doenças crônicas deverão apresentar a prescrição médica com o motivo da indicação - ou seja, a patologia que o paciente apresenta. 

“Como acontece todos os anos, as pessoas com comorbidades tem que apresentar um documento médico que ateste que esse paciente faz parte do grupo de portadores de doença crônica. É importante destacar que de acordo com orientações do Ministério da Saúde, receitas de medicamentos não são consideradas como um documento válido para comprovação do estado de comorbidade”, explicou a subcoordenadora de Imunização da SMS, Doiane Lemos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas