Em jogo agitado, Vitória perde do Ceará e está fora da Copa do Brasil

e.c. vitória
26.08.2020, 23:34:00
Atualizado: 27.08.2020, 02:51:22
Vico leva o segundo cartão amarelo e é expulso contra o Ceará (Arisson Marinho/CORREIO)

Em jogo agitado, Vitória perde do Ceará e está fora da Copa do Brasil

Partida no Barradão teve sete gols, três pênaltis, três expulsões, polêmicas de arbitragem e até presidente batendo boca com jogador rival

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Vitória está eliminado da Copa do Brasil. Em jogo repleto de emoção, o rubro-negro perdeu para o Ceará, de virada, por 4x3, na noite desta quarta-feira (26), no Barradão, e deu adeus ao torneio nacional na terceira fase. A partida foi marcada por polêmicas de arbitragem. Além de sete gols, teve três pênaltis, três expulsões e gol não validado. 

O começo do jogo foi animador para o torcedor rubro-negro. Em apenas 15 minutos, o Vitória conseguiu reverter a vantagem do Ceará. O placar de 2x0 construído com gols de Léo Ceará e Thiago Carleto davam a classificação à equipe baiana, que havia perdido o jogo de ida, no estádio Castelão, em Fortaleza, por 1x0, e precisava vencer por dois gols de diferença para avançar à quarta fase do torneio. 

O Leão se mostrou aguerrido e apresentou futebol empolgante, mas a expulsão de jogadores importantes como Léo Ceará e Vico ainda no primeiro tempo, além do poder de reação do Ceará, que teve forças para virar a partida no Barradão, fizeram com que a comemoração inicial se transformasse em tristeza no apito final.  

E TOME CARTÃO VERMELHO

Aos 30 minutos do primeiro tempo, Vitória e Ceará ficaram em campo com um jogador a menos. Enquanto aguardavam cobrança de escanteio, o centroavante Léo Ceará e o volante Charles se desentenderam dentro da área e o árbitro Paulo Roberto Alves Júnior deu cartão vermelho para os dois. Depois, aos 37 minutos, Vico também foi mais cedo para o chuveiro após levar a segunda chapa amarela por reclamação.

LAMENTÁVEL

Insatisfeito com a arbitragem, o presidente Paulo Carneiro entrou em campo no intervalo para reclamar. O lateral direito Léo tentou tirá-lo e levou um empurrão. Depois, o dirigente se aproximou do jogador Vinícius, do Ceará, e interrompeu a entrevista do atleta à TV Bahia: “Vagabundo” e “eu lhe dou porrada”, gritou. O meia, ex-Bahia, é desafeto do Vitória por causa da dancinha que fez em um Ba-Vi disputado em 2018. Dessa vez, porém, não dançou após o gol.

Paulo Carneiro invadiu o campo no intervalo
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

PRIMEIRO TEMPO ALUCINANTE

Em desvantagem no placar, o Vitória começou o jogo em alta voltagem. A intensidade do setor ofensivo não demorou a dar resultado. Logo aos sete minutos, Léo Ceará estufou a rede do Barradão: Thiago Carleto cruzou, Luiz Otávio desviou de cabeça e a bola sobrou para o centroavante, que bateu de primeira e saiu para o abraço.

O segundo gol do Vitória saiu pouco tempo depois, quando Fernando Prass saiu atabalhoado e derrubou Vico dentro da área. O pênalti foi convertido por Thiago Carleto, que bateu firme no canto esquerdo do goleiro aos 15 minutos e ampliou o placar: 2x0.

Vico e Carleto comemoram o segundo gol junto com os reservas do Vitória
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Um novo fato marcante voltaria a acontecer, só que dentro da área do Vitória, aos 30 minutos. No aguardo da cobrança de um escanteio, o atacante Léo Ceará e o volante Charles se desentenderam e foram expulsos de campo. Na sequência, quando o escanteio foi batido, a equipe visitante conseguiu marcar, mas não teve o gol validado. A cobrança foi fechada, direto para a meta, e exigiu defesa de Ronaldo. Leandro Carvalho pegou a sobra, mandou para o gol e Guilherme Rend tirou de lá com o pé de apoio em cima da linha. A arbitragem não viu, mas a bola chegou a entrar. 

Ronaldo defende pênalti cobrado por Rafael Sobis
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Depois, aos 37, Vico também foi expulso após cometer um pênalti - a bola bateu na mão dele - e levar o segundo cartão amarelo por reclamação. Era a chance do Ceará diminuir, só que Ronaldo defendeu a cobrança de Rafael Sobis no seu canto esquerdo.

O camisa 1 também impediu a tentativa de Leandro Carvalho, de cara para o gol. Só não segurou a segunda cobrança de pênalti para o Ceará, aos 46, cometido por Fernando Neto em Rafael Sobis. Dessa vez com outro batedor: Vinícius foi lá e fez.

Na cobrança de Vinícius não teve jeito para Ronaldo; meia diminuiu para o Ceará 
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

VIRADA DO CEARÁ NO SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, com um jogador a menos, o Vitória tinha o desafio de segurar o placar e levar a decisão para os pênaltis ou fazer mais um gol para avançar direto. Pois lamentou logo no começo.

Após dois minutos de bola rolando, Thiago Carleto marcou contra ao tentar cortar um cruzamento de Leandro Carvalho e empatou para o time cearense: 2x2. 

O Vitória tentou reagir com Gabriel Furtado. Após cobrança de falta de Carleto, o zagueiro aproveitou sobra de bola, chutou da intermediária e carimbou o travessão. Apesar da tentativa rubro-negra, foi o Ceará que encontrou o caminho do gol outra vez. Vinícius roubou a bola de Maurício Ramos e tocou para Fernando Sobral, que assinou a virada no Barradão: 3x2.

Sem se abater, o Vitória conseguiu igualar o marcador aos 19 minutos. Após cobrança de falta, Jonathan Bocão mandou para o gol. Fernando Prass espalmou, Jordy Caicedo aproveitou o rebote e estufou a rede: 3x3. Da intermediária, Rafael Carioca ainda mandou uma bomba no travessão, mas foi o Ceará que fechou o placar. Aos 43 minutos, Lima entrou na área, girou e deu nímeros finais ao jogo para sacramentar a eliminação rubro-negra: 4x3. 

Jordy Caicedo chegou a empatar, mas o Leão não conseguiu a virada e ainda levou o quarto gol
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)


FICHA TÉCNICA

Vitória 3x4 Ceará - 3ª fase da Copa do Brasil

Vitória: Ronaldo, Jonathan Bocão, Gabriel Furtado, Maurício Ramos (Júnior Viçosa) e Thiago Carleto (Mateusinho); Guilherme Rend (Jordy Caicedo), Fernando Neto (Felipe Garcia) e Marcelinho (Jean); Vico, Léo Ceará e Rafael Carioca Técnico: Bruno Pivetti.

Ceará: Fernando Prass, Samuel Xavier, Gabriel Lacerda (Tiago), Luiz Otávio e Bruno Pacheco; William Oliveira (Fabinho), Charles, Fernando Sobral e Vinícius (Lima); Leandro Carvalho (Mateus Gonçalves); Rafael Sobis (Bergson). Técnico: Guto Ferreira.

Estádio: Barradão
Gols: Léo Ceará, aos 7 minutos, Thiago Carleto, aos 15, e Vinícius, aos 46, do 1º tempo; Thiago Carleto (contra), aos 2 minutos, Fernando Sobral, aos 15, Jordy Caicedo, aos 19, e Lima, aos 43, do 2º tempo
Cartão amarelo:  Maurício Ramos e Thiago Carleto (Vitória); Fernando Prass, Mateus Gonçalves e Gabriel Lacerda (Ceará)
Cartão vermelho: Léo Ceará e Vico (Vitória); Charles (Ceará)
Arbitragem: Paulo Roberto Alves Júnior, auxiliado por Luciano Roggenbaum e Luiz Souza Santos Renesto (trio do Paraná).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas