Em sete meses Atlantic Nickel praticamente iguala exportações de 2020

donaldson gomes
23.07.2021, 05:00:00

Em sete meses Atlantic Nickel praticamente iguala exportações de 2020

A plena carga
A Atlantic Nickel, produtora de níquel no município baiano de Itagibá, chegou à marca de 60,3 mil toneladas de concentrado do minério exportadas em 2021, com vistas a atender o crescente mercado internacional da eletrificação. O resultado foi alcançado com o sexto embarque realizado pela empresa, no último domingo (dia 18), no Porto de Ilhéus. O total exportado nestes sete meses de operação este ano é quase o total alcançado no ano passado, que chegou a 67,7 mil toneladas exportadas. Os números indicam o papel significativo que o níquel assume, como um recurso fundamental para a adoção de fontes de energia limpa. Controlada pelo grupo Appian Capital Brazil e única empresa produtora de níquel sulfetado no país, a Atlantic Nickel completou, no dia 15 de outubro de 2020, um ano de operação em Itagibá. São mais de 1.700 empregos diretos gerados pelo negócio e R$ 151 milhões injetados em compras e contratos com fornecedores da Bahia de 2018 a 2020.  A projeção da companhia é dobrar a capacidade produtiva, com o início da operação subterrânea na Mina Santa Rita, prevista para 2028, o que vai elevar o tempo de vida útil da unidade de oito para 34 anos.  De acordo com a Avaliação Econômica Preliminar, cerca de US$ 355 milhões devem ser investidos nos primeiros cinco anos desta nova fase.  Além disso, a empresa já comemora a recente descoberta de um novo depósito com potencial significativo de recursos de níquel a apenas 26km de distância, e no mesmo cinturão geológico, de onde já funciona a Mina Santa Rita. 

Primeiro semestre
No primeiro semestre deste ano, a mineração baiana registrou um faturamento total de R$ 4,1 bilhões, o que rendeu uma arrecadação de Cfem, os royalties da atividade, de R$ 72 milhões, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Mineração (IBram). Os números representam uma alta de 70% no total de receitas geradas para atividade e 84,6% na arrecadação, que beneficiou 175 municípios. De acordo com o Ibram, empresas de mineração devem investir na Bahia US$ 10,5 bilhões nos próximos anos. 

Setor aquecido
Os bons números do setor mineral extrapolaram as fronteiras da Bahia no primeiro semestre. A arrecadação de royalties do setor nos primeiros seis meses do ano já alcançou 75% de tudo o que foi registrado no ano passado e deve chegar próxima aos R$ 9 bilhões, projeta o presidente do Ibram, Wilson Brumer.   “Nós temos a expectativa de encerrar o ano com um resultado muito positivo porque duas variáveis muito importantes, o câmbio e o preço dos minérios no mercado, estão em um bom patamar”, explica. 

Tudo vendido
Em 20 dias, a incorporadora OR conseguiu comercializar 100 do Terra Dourada Parque Camaçari, um dos grandes lançamentos da empresa este ano, com um volume geral de vendas (VGV) estimado em R$ 27 milhões. Logo no evento de lançamento do empreendimento, a empresa já tinha conseguido vender 80% das unidades. “Mesmo com todos os desafios impostos pela pandemia, o mercado imobiliário prova, mais uma vez, que impulsiona a economia, gera empregos e realiza sonhos”, afirma o presidente da OR, Eduardo Pedreira. A empresa se prepara para lançar, em breve, a segunda fase do empreendimento. 

Áreas remotas
A TIM fez uma parceria com o governo baiano e levou internet móvel para 53 áreas remotas no interior do estado. Batizado de Fala Bahia, o programa foi pactuado em 2019, com prazo de dois anos para conclusão. O último site foi instalado no fim de junho, no distrito de Córrego de Pedras, em Ipiaú, a 360 km de Salvador. A companhia também possui um projeto 4G TIM no Campo para viabilizar a digitalização e oferecer soluções inovadoras para o Agronegócio Brasileiro, hoje com mais de 6 milhões de hectares cobertos no país. A meta é expandir a rede 4G até fazendas e usinas do interior, fornecendo atendimento de voz, dados móveis e IoT (Internet das Coisas, no termo em inglês).

Saúde
Líder no desenvolvimento de software para a saúde, a  MV chega aos 34 anos  com a projeção de alcançar um faturamento anual de R$ 2 bilhões nos próximos cinco anos.  Na Bahia, as tecnologias desenvolvidas pela empresa estão em mais de 4 mil leitos. A multinacional brasileira atende mais de 2.500 unidades espalhadas por 10 países da América Latina e África.

Pix
A startup Aarin vai apresentar o serviço Aceito Pix para empresários do ramo gastronômico na próxima segunda-feira. Mais de 250 restaurantes foram mapeados na região, porém apenas 40 foram selecionados para usar a ferramenta de forma 100% gratuita durante três meses. A fintech já tem mais de 30 clientes usando a tecnologia e espera atingir outros 70 espaços ainda este ano. 

Hepatologia 
Profissionais brasileiros e de outros nove países da América e Europa estarão reunidos no congresso online realizado pela Associação Baiana para Estudo do Fígado, entre os 29 e 31 deste mês. Mais informações em hepatologiadomilenio.com.br.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas