Enfermeiro que atacava vacinas e defendia 'tratamento precoce' morre de covid

coronavírus
20.04.2021, 10:58:00
(Reprodução)

Enfermeiro que atacava vacinas e defendia 'tratamento precoce' morre de covid

Processo pedia cassação do registro profissional de Anthony Ferrari Penza

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O enfermeiro Anthony Ferrari Penza, que era conhecido nas redes sociais por divulgar informações falsas da covid-19, morreu no domingo (18) em Duque de Caxias, no Rio, por conta de complicações da doença. A informação é do Uol.

Hugo chegou ao Hospital São José no dia 15, transferido de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cabo Frio, depois de uma solicitação da Central de Regulamentação do Rio. Ele chegou à unidade já com 75% do pulmão comprometido e foi intubado. Na noite do domingo, não resistiu e acabou morrendo. 

A mulher do enfermeiro, Natalia Ferrari, usou as redes para lamentar a morte. "Hoje Deus levou o amor da minha vida, o que ficou foi uma grande dor e saudade dessa pessoa que tanto lutou pelo próximo. Seus feitos vão ficar para sempre e tenho certeza que o céu está em festa", disse Natalia.

Nos últimos meses, o enfermeiro publicou vídeos afirmando que não iria tomar a vacina, que segundo ele foi feita às pressas e sem segurança. Também defendia o uso da ivermectina no combate à covid, apesar do medicamento não servir para tratar a doença, tendo o uso descartado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) nestes casos.

Anthony também disse que estados e municípios estavam escondendo leitos do povo para promover o caos - sem nenhuma prova. Ele criticava o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). 

Por conta do comportamento dele, o Conselho Regional de Enfermagem do Rio (Coren-RJ) chegou a abrir um processo ético para pedir a cassação do registro profissional de Anthony. O caso ainda não tinha tramitado.

Uma das mentiras de Anthony que mais circulou foi dita em uma live no último mês de dezembro, quando falou que o médico João Pedro Rodrigues Feitosa, voluntário nos testes da vacina Astrazeneca, morreu "vítima da vacina". João Pedro morreu de pneumonia causada pela covid.

No vídeo, ele dizia ainda que as vacinas poderia causar Alzheimar e fibriomalgia, o que não tem indícios científicos que comprovem. 

Na época, o caso foi checado pelo Comprova e o enfermeiro disse não ser contra a vacina, mas ser contra "não avisar as pessoas que elas estão sendo testadas" e ser contra "obrigatoriedade" dos testes. Ninguém é obrigado a participar dos testes. Os voluntários assinam um termo reconhecendo a participação. 

Anthony chegou a ser candidato a vereador em Cabo Frio em 2020, mas não se elegeu. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas