Estreia com velhos erros: goleiro falha, Bahia para na trave e perde do Fluminense

e.c. bahia
30.08.2021, 20:58:00
Atualizado: 30.08.2021, 22:02:40
Matheus Teixeira, de laranja, durante jogo entre Fluminense e Bahia; goleiro falhou no primeiro gol (Lucas Merçon/Fluminense FC)

Estreia com velhos erros: goleiro falha, Bahia para na trave e perde do Fluminense

No primeiro jogo de Dabove no comando, tricolor chegou ao oitavo seguido sem vencer no Brasileirão

A noite que era de esperança, com a estreia de novo treinador, se transformou em frustração para o Bahia. No Maracanã, o Esquadrão até colocou intensidade no segundo tempo, mas perdeu para o Fluminense, por 2x0, e completou o oitavo jogo seguido sem vencer pelo Campeonato Brasileiro.

No primeiro jogo do argentino Diego Dabove no comando da equipe, Matheus Teixeira falhou na cobrança de falta e Lucca abriu o placar no primeiro tempo. Na segunda etapa, Bobadilla anotou já aos 51 minutos e fechou a conta. O resultado fez o time carioca quebrar a sequência de seis partidas sem vitórias. 

De quebra, o tricolor baiano foi ultrapassado pelo próprio Fluminense e caiu para a 16ª colocação. O Bahia soma os mesmos 18 pontos do América-MG, 17º colocado, e só não entra na zona de rebaixamento porque leva vantagem no número de triunfos. 

O próximo compromisso do Esquadrão será sábado (4), quando recebe o Fortaleza, às 21h, em Pituaçu, no jogo que fecha o primeiro turno da Série A.  

VELHOS ERROS
Em seu primeiro jogo, o técnico Diego Dabove optou por manter a essência do time que era treinado por Dado Cavalcanti. O esquema com três atacantes foi reeditado e Gilberto, poupado na derrota para o Grêmio, voltou ao time titular. 

Nos minutos iniciais, o Bahia tentou pressionar o Fluminense no ataque, mas aos poucos o time da casa fechou os espaços, e a maior parte do primeiro tempo foi de um jogo marcado por disputas no meio-campo. 

Nas poucas chances criadas pelas equipes, foram os centroavantes que levaram perigo. Pelo lado do Bahia, Gilberto aproveitou a jogada de Mugni e chutou dividido com o marcador. A bola passou perto da trave. 

A resposta do Fluminense veio minutos depois: Arias fez jogada pela esquerda, cruzou para Fred, o veterano girou sobre a defesa e chutou no meio do gol; Matheus Teixeira defendeu.  

Mas quando a fase não é boa, nada parece ajudar. Aos 36 minutos, Lucca cobrou falta direta, Matheus Teixeira chegou atrasado e até tocou na bola, mas não teve força para impedir o gol do time carioca. Apesar de ter passado por cima da barreira, era uma bola defensável.

O Bahia voltou do intervalo com o mesmo time, mas a conversa dos jogadores com Dabove rendeu uma postura mais agressiva. Nos primeiros minutos o Esquadrão conseguiu segurar a bola no ataque e tentou criar as jogadas na base da velocidade, principalmente com Rossi. 

Atrás, o sistema defensivo causava preocupação. Aos sete minutos, Samuel Xavier cruzou na área e Fred desviou para as redes. Para a sorte do tricolor, a arbitragem flagrou impedimento do centroavante. 

Apesar de apresentar a intensidade prometida por Dabove, o Bahia repetia os velhos problemas de criação e apenas rondava a área do Flu, sem efetividade. O treinador colocou o atacante Ruiz no lugar do volante Patrick para tentar mudar a situação. 

A grande chance do tricolor ocorreu aos 30 minutos, quando Gilberto tentou de cabeça, o goleiro Marcos Felipe defendeu com o joelho e por muito pouco a bola não sobrou para Rodriguinho. Na sequência, Luiz Otávio testou forte e mandou no travessão. 

Aos 36 minutos, foi a vez de Rossi escapar em velocidade pela esquerda e cruzar para Juninho Capixaba, que se posicionou na área para receber o passe e soltou uma bomba, mas também parou no travessão do Fluminense, após o goleiro tocar na bola.

Sem competência para balançar as redes, o Bahia ainda viu Bobadilla aproveitou um rebote de falta cobrada por Cazares e, aos 51 minutos, levou o segundo gol e amargou mais uma derrota. 
 

FICHA TÉCNICA
Fluminense 2x0 Bahia - Campeonato Brasileiro (18ª rodada)

Fluminense: Marcos Felipe, Samuel Xavier, Nino, Lucas Claro e Danilo Barcelos; André, Yago Felipe e Martinelli (Nonato); Jhon Arias (Manoel), Fred (Bobadilla)  e Lucca (Cazares). Técnico: Marcão. 

Bahia: Matheus Teixeira, Nino Paraíba, Conti, Luiz Otávio e Juninho Capixaba; Patrick (Ruiz), Daniel e Lucas Mugni; Rossi, Gilberto e Rodriguinho (Rodallega). Técnico: Diego Dabove. 

Gols: Lucca, aos 36 minutos do 1º tempo; Bobadilla, aos 51 minutos do 2º tempo
Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro
Cartões amarelos: André e Nino (Fluminense); Rossi, Patrick, Gilberto e Conti (Bahia)
Arbitragem: Edina Alves Batista (SP), auxiliada por Neuza Ines Back (SP) e Leila Naiara Moreira da Cruz (DF)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas