Estudantes ficam sem aula na Boca do Rio por causa da violência

salvador
01.04.2022, 18:56:49
(Bruno Wendel/CORREIO)

Estudantes ficam sem aula na Boca do Rio por causa da violência

Pelos menos duas não tiveram aula

O aviso fixado atrás de uma grade é mais um dos reflexos da violência no bairro da Boca do Rio. "Resolvemos: suspender as atividades", diz um dos trechos do comunicado na guarita do Instituto Municipal de Educação Professor José Arapiraca (Imeja). Pelo menos duas instituições de ensino não funcionaram nesta sexta-feira (1º). 

No último final de semana, duas pessoas foram assassinadas no bairro. Na madrugada de domingo, uma jovem que vendia cachorro quente e um garçom foram mortos por homens encapuzados. As mortes somam 14 homicídios registrados no sábado (26) e domingo (27) em Salvador e região metropolitana - esse foi o fim de semana mais violento deste ano, junto com os dias 19 e 20 de fevereiro, respectivamente.

Aviso
O Imeja fica na Rua Abelardo Andrade de Carvalho. A instituição já não teve aula na quinta-feira (31) à noite pelo mesmo motivo. "A situação aqui está demais. Boca do Rio clama por socorro. Até quando vamos ficar assim ? Até quando vamos chorar a morte de filhos, maridos, vizinhos ? Vivemos apavorados", disse a mãe de um aluno. 

Foto: Bruno Wendel/CORREIO 

A Secretaria Municipal de Educação (Smed) informou que a Escola Municipal da Boca do Rio também não teve aula por conta da insegurança no bairro. "Na quarta, teve tiroteio aqui na frente. Eles (criminosos) esperaram uma viatura passar e começaram a tirar. Isso aconteceu pela tarde. Muita gente passando na hora. Foi uma correria", disse uma jovem , que já estudou no Imeja.  A secretária informou que a situação será normalizada na segunda.

A funcionária de um restaurante, que mora também na Boca do Rio, disse que o Colégio Estadual Professora Georgina Ramos da Silva, na Praça Didie Luz, não funcionou. "A minha filha não foi hoje. A direção acho por bem ninguém ir e nós, pais, concordamos. Está todo mundo com medo", disse ela. Já a Secretaria Estadual de Educação (SEC)  disse que aulas ocorreram normalmente. 

Pai lê aviso na porta de unidade na Boca do Rio (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

A PM foi procurada a respeito das medidas de segurança tomadas na região, mas não respondeu até a publicação desta reportagem. 

Mortes
Duas pessoas morreram e uma criança de 5 anos foi baleada no final de linha da Boca do Rio, na madrugada do último domingo (27). O crime aconteceu entre as ruas Lavínia Magalhães e Hélio Machado.

Segundo informações da Polícia Civil, homens encapuzados chegaram em dois carros e uma moto fizeram seguidos disparos de arma de fogo. Os tiros atingiram Renato Andrade Sousa, de 33 anos, que estava na Rua Lavínia Magalhães e Patrícia Paiva Costa, de 17, na Rua Hélio Machado. Os dois foram socorridos Unidade de Pronto Atendimento do Marback, no Imbuí, mas não resistiram aos ferimentos. 

Uma sobrinha de Patrícia, de cinco anos, foi atingida de raspão na perna por um dos tiros e levada a uma unidade de saúde da capital. A Polícia Civil expediu as guias de remoção e de perícia. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas