Estudantes recebem novos livros elaborados por professores de Salvador

salvador
16.02.2016, 14:29:00
Atualizado: 16.02.2016, 16:37:30

Estudantes recebem novos livros elaborados por professores de Salvador

Prefeito entregou primeiros exemplares do material didático do programa Nossa Rede

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Efraim Santos, 6 anos, exibia com orgulho o sorriso largo, meio banguela. A felicidade se misturava com a euforia de descobrir as novidades dos novos livros nos primeiros dias de aula. Ele mostrava empolgado para a coleguinha Sara Souza, 6, o que havia descoberto. “Oooolha! Tem quadra de basquete! Você já viu?”. “E esse boneco aqui? Você acha que é igual a esse?”, dizia enquanto apontava para a figura da Praia de Ondina nos exercícios do caderno do 1º bimestre do programa Nossa Rede.

Os novos livros didáticos elaborados pela Secretaria Municipal de Educação (Smed), em parceria com as ONGs Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (Icep) e Avante, foram entregues simbolicamente na manhã desta terça-feira (16) pelo prefeito ACM Neto e o secretário Guilherme Bellintani, na Escola Municipal Antonio Carlos Magalhães, no Vale do Ogunjá.

Efraim foi um dos primeiros a receber a novidade. “Eu gostei da praia e da quadra de basquete, porque é muito divertido. Eu gosto de esportes, de bola”, contou o estudante do 1º ano do Ensino Fundamental. Ele prometeu que vai cuidar bem dos novos companheiros de escola. Os cadernos são dele e agora é possível levá-los para fazer as tarefas em casa e discutir os assuntos de Salvador. 

Estudantes da Escola Municipal Antonio Carlos Magalhães receberam primeiros livros
(Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

“Nós construímos um sistema próprio, que reflete o pensamento da cidade do Salvador. Reflete as experiências da nossa rede. Estamos dando um salto na qualidade da educação de Salvador. Não tenho dúvida de que os resultados vão ser sentidos rapidamente”, afirmou o prefeito ACM Neto, durante a entrega do material didático.

Nos livros entregues, o vocabulário é o mais próximo possível do cotidiano dos estudantes. Então, não é de espantar ver uma moqueca, caruru ou xinxim de galinha como opções de resposta em uma das perguntas. Ou ainda, ver ônibus que fazem a linha Lapa/Barra, na apresentação de algarismos e letras, e imagens do Carnaval de Salvador.

Professores e gestores municipais, da Smed, também participaram do processo de elaboração dos livros, que vão ser usados por 87 mil estudantes de Educação Infantil e Ensino Fundamental I. 

“Trazer os elementos da cidade é ter a certeza de que estamos trabalhando com cultura e arte que fazem parte da vida dos alunos e professores, visando um trabalho muito mais voltado para que os alunos se vejam nos cadernos e entender que a escola faz parte da vida, e a vida do aluno faz parte da escola”, explicou a diretora pedagógica da Smed, Joelice Braga.  

Foi assim que a estudante Iasmin Mesquita, 6, se interessou pelas letras do alfabeto, disponíveis para recortar no fundo do livro de Português. “Foi o que eu mais gostei. Dá para recortar e brincar. Eu gosto de estudar e de brincar também”, confessou.

Economia
Na implantação do sistema foram investidos R$ 6,3 milhões na contratação do Icep e R$ 1,5 milhão para a Avante, que atuaram como parceiros na elaboração do material. “Estamos garantindo economia. Comprando o material em editoras nacionais iríamos gastar muito mais, as despesas seriam muito maiores”, afirmou o prefeito ACM Neto.

O secretário Guilherme Bellintani estima uma economia de R$ 8 milhões por ano usando os livros próprios da rede municipal. “A economia é muito boa e quando vem acompanhada de uma melhoria técnica passa a ser ainda mais importante para a área de educação”, afirmou o secretário.  

Os estudantes de toda a rede devem receber o material do 1º bimestre durante todo esse mês. O restante dos livros será entregue gradativamente ao longo do ano letivo. Para o Ensino Fundamental 1, são quatro livros de Português e quatro de Matemática.

Já os alunos da Educação Infantil vão receber um kit que inclui os chamados “álbuns de experiências” (atividades para casa), álbuns de desenvolvimento (registro dos acontecimentos da vida de bebês de até 1 ano), agenda e portfólios, que são para uso do professor.

Para a presidente do Instituto Chapada, Cybelle Amado, a expectativa agora é para a adaptação dos estudantes. “Meu sonho era ver a cena deles (alunos) com os livros em mãos. Agora, é que os professores e as crianças tenham os seus livros para chamar de seus e que o ensino avance”, afirmou.

Os professores vão continuar em formação continuada durante todo ano de 2016, explica a diretora pedagógica do instituto, Elizabeth Monteiro. Além disso, a recepção do material também vai ser monitorada durante as reuniões dos grupos de trabalho, e sofrerá intervenção, caso seja necessário. “Essas reuniões têm um principal objetivo que é discutir como esse caderno vai ser usado em sala de aula, analisando as dificuldades e os avanços das crianças”, explicou.

Inauguração
A entrega do material didático aconteceu durante a reinauguração da Escola Municipal Antonio Carlos Magalhães, no Vale do Ogunjá. Por meio do programa Combinado, foram investidos cerca de R$ 1,2 milhão. A escola atende 492 alunos nas áreas de Educação Infantil, Ensino Fundamental I e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A unidade conta com dez salas, quadra, biblioteca e parque infantil, dentre outros ambientes. A diretora da escola, Ivone Carlos Alves, agradeceu pela reforma e fez novos pedidos. “Agradeço pela sensibilidade do nosso pedido ter sido atendido, mas os nossos projetos se renovam e agora esperamos que possa ser feito um novo auditório e uma sala de artes”, afirmou. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas