Ex-ministro Celso de Mello critica Bolsonaro em texto: 'Despreparado e insensato'

coronavírus
08.04.2021, 11:12:00
Atualizado: 08.04.2021, 11:17:45
(Arquivo ABr)

Ex-ministro Celso de Mello critica Bolsonaro em texto: 'Despreparado e insensato'

Mensagem condena decisão do presidente de não determinar lockdown

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O ex-ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou de maneira pesada o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em um texto que enviou pelo WhatsApp, segundo a CNN Brasil. Ele afirmou que a recusa de Bolsonaro em adotar um lockdown nacional na pandemia é um "gesto insensato", um "repulsivo e horrendo grito necrófilo".

Para Celso, que está aposentado, a atitude de Bolsonaro é própria de quem não possui o atributo virtuoso do 'statesmanship'" (estadista). Ele cita o português Eça de Queirós ao dizer que o comportamento de Bolsonaro revela "aquela 'obtusidade córnea' de que falava o escritor. As ações, ou falta delas, mostram "seu inqualificável despreparo político e pessoal", escreve.

O ex-ministro cita Araraquara (SP) como um destaque no combate à pandemia, lembrando os resultados potivios das medidas de restrições na cidade. As medidas tomadas seguiram as orientações da OMS e de outros países que são governados "por políticos responsáveis, que repudiam as insensatas (e destrutivas) teses negacionistas".

Ele diz que o presidente Bolsonaro julga ser "um monarca absolutista ou um contraditório 'monarca presidencial". A postura de Bolsonaro o faz se lembrar, escreve, "do conflito entre Miguel de Unamuno, Reitor da Universidade de Salamanca no início da Guerra Civil espanhola, em 1936, e o General Millán Astray, falangista e seguidor do autocrata Francisco Franco, 'Caudilho de Espanha'”.

De acordo com a CNN, Mello enviou o texto para amigos, incluindo ministros que ainda estão no STF.

O Palácio de Planalto diz que não comentará o texto.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas