'Foram me criticar, mas e agora?', provoca Kannário após prisão de PMs

salvador
05.03.2020, 13:13:00
Atualizado: 05.03.2020, 13:13:10

'Foram me criticar, mas e agora?', provoca Kannário após prisão de PMs

Cantor parabenizou corporação por decisão de punir PMs por agressões na Liberdade

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O deputado federal Igor Kannário (DEM) parabenizou, nesta quinta-feira (5), a Polícia Militar pela prisão de PMs da 37ª Companhia Independente (CIPM/Liberdade) que agrediram sete homens e um adolescente no bairro da Liberdade, periferia de Salvador. O caso ocorreu na noite dessa quarta (4) na Rua Tupy Caldas, localidade do Estica, e ganhou repercussão nas redes sociais após a divulgação de vídeo que mostra o momento da agressão dos PMs ao homem.

"Parabenizo a Polícia Militar por ter dado uma resposta rápida e rigorosa a este caso de agressão a sete jovens na Liberdade. A corporação mostrou para a população que não concorda com excessos como este que vimos no vídeo. É um caso grave, que não pode continuar acontecendo, especialmente nas periferias, nas favelas", diz o parlamentar, em nota divulgada por sua assessoria.

Kannário ainda cobrou um posicionamento do governador Rui Costa (PT), do secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, e do comandante da PM, coronel Anselmo Brandão, sobre o caso.

"Todos foram a público para me criticar, mas e agora? O que têm a dizer sobre esta agressão sofrida por estes jovens na Liberdade? O povo da favela quer saber", declarou.

O deputado ainda falou da importância de filmar ações como a ocorrida na Liberdade. "Peço à comunidade que sempre filme para que qualquer excesso, qualquer atrocidade cometida sejam amplamente divulgada. Não é justo que o povo da favela, historicamente esquecido pelo poder público, ainda tenha que sofrer com esse tipo de violência. Agora, a favela tem voz e vez", disse o pagodeiro-deputado. 

Kannário teve passagem polêmica pelo Campo Grande, com discussão com PMs e troca de insultos (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Ele afirmou que, assim como neste caso, os incidentes do Carnaval também estão gravados. "Temos vídeos das agressões sofridas por pessoas que estavam na Pipoca do Kannário, praticadas por alguns policiais. Ressalto: naquele mesmo dia, elogiei o trabalho da PM. Mas não vou, nunca, me calar diante dos excessos", destacou.

Ação na Liberdade
A Polícia Militar da Bahia informou pela manhã que prendeu em flagrante os PMs da 37ª CIPM que agrediram oito pessoas durante uma abordagem na Rua Tupy Caldas. A prisão foi motivada após a corporação ter acesso a um vídeo divulgado nas redes sociais. As imagens foram compartilhadas, entre outras pessoas, pelo próprio deputado Igor Kannário, que criticou a atuação de PMs na passagem de seu trio no Carnaval de Salvador.

No vídeo, aparecem dois PMs em ação. A corporação não informou o nome nem as funções dos militares presos. 

"Neste momento os integrantes da guarnição estão sendo autuados em flagrante na Corregedoria da Polícia Militar e, após as oitivas, serão encaminhados para a Coordenadoria de Custódia Provisória (CCP), onde permanecerão à disposição da justiça. A PM-BA reitera que abusos policiais não serão tolerados por parte de qualquer integrante da corporação e todas as denúncias serão rigorosamente apuradas", afirmou a Corporação em nota. 

'Desculpas'
Há um mês, o comandante geral da PM, coronel Anselmo Brandão, pediu desculpas ao adolescente de 16 anos filmado sendo agredido por um PM  em Paripe. O jovem, acompanhado pela mãe, foi recebido no Quartel dos Aflitos.

O vídeo, em que ele aparece sendo espancado e xingado, segundo Brandão, seria exibido como medida de alerta às tropas nas companhias da Polícia Militar do estado. A intenção é mostrar que o comportamento do policial agressor é inadequado em abordagens. Em 2019, 18 PMs foram exonerados por desvios de condutas. 

"A PM tem um protocolo de abordagens e o que o policial fez foi totalmente o contrário. Não é essa a polícia que queremos. Foi uma atitude equivocada. Ele foi afastado por 30 dias e foi instaurado um processo administrativo e militar", declarou após o encontro coronel Brandão.

o policial, que não teve o nome divulgado pela corporação, abordou com murros e chute nas costas um jovem estudante negro de 16 anos - além de proferir insultos racistas durante a ação. A vítima usava um penteado black power.

Coronel Anselmo Brandão cumprimenta mãe de adolescente na manhã desta quarta-feira (5) (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

A ação foi gravada no bairro de Paripe, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, sem que os policiais envolvidos na abordagem percebessem, e as imagens divulgadas nas redes sociais na tarde dessa segunda-feira (3). Diante do medo, o adolescente pensa em cortar o cabelo

Fato isolado
Após lamentar o ocorrido para a imprensa, o comandante geral da PM classificou a situação como um fato isolado. Então, questionado sobre outros casos recentes em que PMs foram flagrados em vídeo praticando agressões físicas, o coronel Anselmo Brandão respondeu: "Pelo universo da Bahia, com 417 municípios, a corporação com 32 mil homens, pode se dizer que isso é um fato isolado. Então, senhores repórteres, uma corporação com 32 mil homens, diante da atividade que eles exercem, é impossível não cometerem excesso e para isso temos a Corregedoria".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas