Forte terremoto atinge o Norte das Filipinas

mundo
11.08.2017, 08:38:00
Atualizado: 11.08.2017, 08:45:48

Forte terremoto atinge o Norte das Filipinas

O tremor foi sentido na cidade de Manila, no oeste, onde trabalhadores e estudantes tiveram de deixar prédios, mas nenhuma vítima ou estrago mais sério foi registrado até o momento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um terremoto de magnitude 6,2 na escala Richter atingiu nesta sexta-feira (11) o sul da ilha de Luzon, situada no Norte do arquipélago das Filipinas.

Segundos informações divulgadas pela "Agência EFE", as autoridades locais não relataram, até o momento, a ocorrência de danos e vítimas. Mas o tremor chegou a ser sentido de forma mais fraca pelos moradores da capital Manila, que fica no oeste do país asiático. Trabalhadores e estudantes tiveram de deixar prédios, mas nenhuma vítima ou estrago mais sério foi registrado na cidade até o momento.

Na cidade de Manila, trabalhadores e estudantes tiveram de deixar prédios. Na foto, funcionários desocupam tribunal da cidade (Foto: AFP)

O Serviço Geológico dos Estados Unidos, que monitora a atividade sísmica mundial, localizou o epicentro do tremor a 2,5 quilômetros a noroeste de Putol e a cerca de 73 quilômetros ao sul da capital Manila. Já o serviço sismológico filipino, Philvolcs, elevou a magnitude do terremoto para 6,3.

Segundo o Instituto de Vulcanologia e Sismologia das Filipinas, não são esperados danos já que, apesar da magnitude de 6,3 graus na escala Richter ser descrito como forte, o epicentro do terremoto foi a 160 quilômetros de profundidade da superfície.

As Filipinas estão localizadas sobre o chamado "Círculo de Fogo do Pacífico", uma região com grande atividade sísmica e vulcânica que é sacudida por cerca de 7 mil tremores por ano, a maioria deles moderada. De acordo com a escala Richter, terremotos deste tipo - de magnitude 6,0 a 6,9 -  acontecem, geralmente, 120 vezes por ano no mundo. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas