Funcionária pede socorro em guardanapo após ser assediada pelo chefe

brasil
31.05.2021, 08:50:50
(Foto: Reprodução)

Funcionária pede socorro em guardanapo após ser assediada pelo chefe

'Não é brincadeira, ele está tentando me drogar', escreveu jovem em bilhete

A funcionária de uma lanchonete usou um guardanapo para se pedir socorro a um cliente na noite desta sexta-feira (28), em Chapecó (SC). A jovem, de 19 anos, informou que estava sendo assediada pelo chefe e pediu para quem alguém chamasse a polícia.

O bilhete foi recebido por um casal que tinha pedido a comida via delivery. De acordo com o G1, os dois ligaram para a polícia e pediram para que as autoridades fossem até a lanchonete.

"Por favor, chame a polícia nesse endereço. Meu chefe está me assediando e está tentando me drogar. Sou cozinheira. Por favor, não é brincadeira", escreveu a jovem no bilhete.

Leia mais: Mulher liga para PM pedindo pizza e atendente entende código de socorro

Os guardas foram até o local e lá encontraram a jovem, que relatou o episódio. 

De acordo com a funcionária, ela e o patrão, um homem de 48 anos, estavam sozinhos quando ele tentou agarrá-la durante o trabalho. 

Ainda de acordo com ela, ele ofereceu R$ 150 para que os dois mantivessem relações sexuais. O homem, segundo a funcionária, também lhe propôs beber cocaína e vinho misturados.

Guardas municipais, de fato, encontraram duas buchas de cocaína no local durante as buscas.

Já o suspeito foi conduzido à delegacia e um boletim de ocorrências foi feito. Segundo a Guarda Municipal, ele não foi detido, e um inquérito será aberto para apurar o crime.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas